Práticas Educativas de Professores de Educação Física do Ensino Fundamental e Sua Relação com a Teoria dos Estilos Parentais

Por: Aline Santos Souza, e .

Conexões - v.14 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo


O presente estudo teve como objetivo analisar as posturas de professores de Educação Física do Ensino Fundamental Segundo Ciclo, a partir da tipologia da Teoria dos Estilos Parentais, propostas por Baumrind (1966). Buscou-se também analisar as possíveis influências das posturas dos professores sobre o clima afetivo das aulas de Educação Física. Para isso, foram observadas aulas de professores da rede pública de ensino de Campinas, registradas em diário de campo. Para organização e análise dos dados, utilizou-se uma adaptação do Questionário de Estilos e Dimensões Parentais (QEDP) – Versão Reduzida, que serviu como base para a relação entre os estilos parentais e a forma de atuação docente. Como resultado, foi percebida a predominância de condutas permissivas e a pouca autoridade dos docentes sobre seus alunos. Concluiu-se que os professores adotam posturas permissivas para evitar conflitos, o que torna suas aulas esvaziadas de conteúdo.

Referências:

LEITE, W. S. S. Euro 2012: analysis and evaluation of goals scored. International Journal of Sports Science, v. 3, n. 4, p. 102-106, 2013.

FIGUEIRA, F. M.; GRECO, P. J. Futebol: um estudo sobre a capacidade tática no processo de ensino-aprendizagem-treinamento. Revista Brasileira de Futebol, v. 1, n. 2, p. 53-65, jul./dez. 2013.

GARGANTA, J. A análise da performance nos jogos desportivos: revisão acerca da análise do jogo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 1, n. 1, p. 57-64, 2001.

JAMES N.; MELLALIEU, S. D.; HOLLEY, C. Analysis of strategies in soccer as a function of european and domestic competition. International Journal of Performance Analysis in Sport, v. 2, p. 85-103, 2002.

ALMEIDA, L.G. D.; OLIVEIRA, M. L. D.; SILVA, C. D. D. Uma análise da vantagem de jogar em casa nas duas principais divisões do futebol profissional brasileiro. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 49-54, jan./mar. 2011.

ARRESE, A. L.; URDIALES, D. M.; IZQUIERDO, D. M. Home advantage and sports performance: evidence, causes and psychological implications. Universitas Psychologica, v. 12, n. 3, p. 933-943, 2013.

ARMATAS, V. et al. Referees' home bias in greek non-professional soccer matches: the case of the Argolida Football Clubs Association. In: ANNUAL INTERNATIONAL CONFERENCE: PHYSICAL EDUCATION, SPORT & HEALTH, 2., 2009, Romania. Proceedings... Romania, 2009.

BENTO, D. et al. Relação entre o gol marcado antes dos quinze minutos de partida e o resultado final de jogo no futebol. EFDeportes: revista digital, Buenos Aires, ano 17, n. 169, 2012.

NEVO, D.; RITOV, Y. Around the goal: examining the effect of the first goal on the second goal in soccer using survival analysis methods. Journal of Quantitative Analysis in Sports, v. 9, n. 1, p. 165-177, 2012.

ARMATAS, V.; YIANNAKOS, A. Analysis and evaluation of goals scored in 2006 World Cup. Journal of Sport and Health Research, v. 2, n. 2, p. 119-128, 2010.

PRATAS, J.; VOLOSSOVITCH, A.; FERREIRA, P. The effect of situational variables on teams' performance in offensive sequences ending in a shot on goal: a case study. The Open Sports Sciences Journal, v. 5, n. 5, p. 193-199, 2012.

LAGO, C.; MARTÍN ACERO, R.; SEIRUL-LO, F. El rendimiento en el fútbol: una modelizacióon de las variables para el F. C. Barcelona. Apunts Educacion Física y Deportes, Barcelona, v. 1, p. 51-58, 2007.

LAGO, C.; DELLAL, A. Ball possession strategies in elite soccer according to the evolution of the match-score: the influence of situational variables. Journal of Human Kinetics, v. 25, p. 93-100, 2010.

GIL, A. F. P. Futebol: análise do resultado final: estudo de quatro ligas profissionais europeias. 2012. 198 f. Dissertação (Mestrado em Treino Desportivo) - Faculdade de Educação Física e Desporto, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2012.

POLLARD, R.; GÓMEZ, M. A. Components of home advantage in 157 national soccer leagues worldwide. International Journal of Sport and Exercise Psychology, v. 1, n. 1, p. 1-33, 2014.

POLLARD, R.; SILVA, C. D. D.; MEDEIROS, N. C. Home advantage in football in Brazil : differences between teams and the effects of distance traveled. The Brazilian Journal of Soccer Science, v. 1, n. 1, p. 3-10, jan./jul. 2008.

SILVA, C. D.; MOREIRA, D. G. A vantagem em casa no futebol: comparação entre o Campeonato Brasileiro e as principais ligas nacionais do mundo. Revista Brasileira Cineantropometria & Desempenho Humano, Florianópolis, v. 10, n. 2, p. 184-188, 2008.

SECKIN, A.; POLLARD, R. Home advantage in turkish professional soccer. Perceptual and Motor Skills, Missoula, v. 107, p. 51-54, 2008.

GOUMAS, C. Home advantage in australian soccer. Journal of Science and Medicine in Sport, Belconnen, v. 17, p. 119-123, 2014.

JOHNSTON, R. On referee bias, crowd size, and home advantage in the english soccer premiership. Journal of Sports Sciences, London, v. 26, n. 6, p. 563-568, 2008.

VAN DE VEN, N. Supporters are not necessary for the home advantage: evidence from same-stadium derbies and games without an audience. Journal of Applied Social Psychology, v. 41, n. 12, p. 2785-2792, 2011.

MICHAILIDIS, Y.; MICHAILIDIS, C.; PRIMPA, E. Analysis of goals scored in european championship 2012. Journal of Human Sport and Exercise, v. 8, n. 2, p. 367-375, 2013.

THOMAS, J.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. Porto Alegre: Artmed, 2012.

ARMATAS, V. et al. Evaluation of goals scored in top ranking soccer matches: Greek “Super League” 2006-07. Serbian Journal of Sports Sciences, v. 3, n. 1, p. 39-43, 2009b.

NEVILL, A. M.; HOLDER, R. L. Home advantage in sport: an overview of studies on the advantage of playing at home. The American Journal of Sports Medicine, Thousand Oaks, v. 28, n. 4, p. 221-236, 1999.

POLLARD, R. Home advantage in soccer: a retrospective analysis. Journal Sports Sciences, London, v. 4, n. 3, p. 237-248, 1986.

DENNIS, P. W.; CARRON, A. V. Strategic decisions of ice hockey coaches as a function of game location. Journal of Sports Sciences, London, v.17, n. 4, p. 263-268,1999.

NEVILL, A. M.; BALMER, N. J.; WILLIAMS, A. M. The influence of crowd noise and experience upon refereeing decisions in football. Psychology of Sport and Exercise, v. 3, p. 261-272, 2002.

BRADLEY, P. S. et al. The influence of situational variables on ball possession in the English Premier League. Journal of Sports Sciences, London, v. 32, n. 30, p. 1867-1873, 2014.

GARGANTA, J. Trends of tactical performance analysis in team sports: bridging the gap between research, training and competition. Revista Portuguesa de Ciência do Desporto, Porto, v. 9, n. 1, p. 81-89, jan. 2009.

DESSEN, M. A.; POLONIA, A. C. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paidéia, v. 17, p. 21-32, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v. 17 n.36 /v17n36a03.pdf. Acesso em: jul. 2014.

CUNHA, M. I. O bom professor e a sua prática. Campinas: Papirus, 1989.

KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: Ed. da Unijuí, 1994.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber, elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

BAUMRIND, D. Effects of Authoritative Parental Control on Child Behavior. Child Development, n. 37, p. 323/890, 1966. Disponível em: http://arowe.pbworks.com/f/baumrind_1966_parenting.pdf Acesso em: ago.2013.

SENNETT, R. Autoridade. Rio de Janeiro: Record, 2001.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: DIFEL, 1989.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1997.

ARENDT, H. A condição humana. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

GOMES, C. A. Poder, autoridade e liderança institucional na escola e na sala de aula: perspectivas sociológicas clássicas. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 63, abr./jun. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362009000200004. Acesso em: set. 2014.

AQUINO, J. R. G. Autoridade docente, autonomia discente: uma equação possível e necessária. In: Autoridade e autonomia na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1999.

DARLING, N.; STEINBERG, L. Parenting style as context: an integrative model. Psychological Bulletin, v. 113, 1993. Disponível em: http://www.oberlin.edu/faculty/ndarling/lab/psychbull.pdf. Acesso em: set. 2013.

MACCOBY, E.; MARTÍN, J. Socialization in the context of the family: parent-child interaction. In: MUSSEN, P. H.; HETHERINGTON, E. M. (Org.). Handbook of child psychology: socialization, personality and social development. 4. ed. New York: Wiley, 1983. p. 1-101.

MIGUEL, I.; VALENTIM, J. P.; CARUGATI, F. Questionário de estilos e dimensões parentais – versão reduzida: adaptação portuguesa do parenting stylesand dimensions questionnaire – short form. Revista Psychologica, Coimbra, v. 51, p. 169-188, 2009. Disponível em: http://iduc.uc.pt/index.php/psychologica/article/view/1021. Acesso em: set. 2013.

SANTOS, J. H. Moradia popular em Campinas: um estudo do Conjunto Habitacional Edivaldo Antônio Orsi. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Centro de Ciências Exatas, Ambientais e de Tecnologias, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2008. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/GEOGRAFIA/Monografias/moradia_popular_campinas.pdf. Acesso em: set. 2014.

VIANNA, H. M. Pesquisa em educação: a observação. Brasília: Liber Livro, 2007.

LAVILLE, C; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia de pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

MINAYO, M.; GOMES, S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

DARIDO, S. C.; SANCHES NETO, L. O contexto da Educação Física na escola. In: DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. (Org.). Educação Física na escola: implicações para a prática pedagógica. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

NOVAIS, E. L. É possível ter autoridade em sala de aula sem ser autoritário? Linguagem & Ensino, v. 7, n. 1, 2004. Disponível em: http://www.rle.ucpel.tche.br/index.php/rle/article/view/213. Acesso em: fev. 2014.

WEBER, L. N. D.; BRANDENBURG, O. J.; VIEZZER, A. P. A relação entre o estilo parental e o otimismo da criança. Psico-USF, v. 8, n. 1, jan./jun. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pusf/v8n1/v8n1a10. Acesso em: abr. 2013.

DAYRELL, J. A escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, J. (Org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1996. p. 136 - 161.

Endereço: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8644767

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.