Preparação Profissional em Educação Física: das Leis à Implementação dos Currículos.

Por: .

1996 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Através deste estudo investigou-se a legislação pertinente à preparação profissional em Educação Física no Brasil e como esta influenciou as propostas de mudança curricular das Instituições públicas de Ensino Superior do eixo São Paulo-Rio partindo da discussão sobre a idéia de campo de conhecimento exposta no texto legal. O Objetivo proposto foi analisar a justificativa para a substituição da Resolução CFE nº. 69/69 pela Resolução CFE nº. 03/87 e como as referidas instituições responderam às novas exigências legais. Para isso, foi feita a análise comparativa do currículo atual dos cursos de Educação Física com o anterior, observando as suas respectivas justificativas e opções de cursos. Utilizando-se da pesquisa documental e bibliográfica, algumas evidências foram observadas: ,a legislação atual, tanto no seu aspecto normativo (possibilidade da opção pelo curso de Bacharelado, aumento da carga horária e duração mínima), como por trazer à discussão a necessidade de caracterizar o campo de conhecimento da Educação Física representa avanço; ,a legislação atual no seu aspecto operacional (sugestão de matérias e/ou disciplinas para composição do currículo do curso de Educação Física – Anexo I) não apresenta nenhum elemento que exija aprimoramento do processo de preparação profissional em Educação Física; ,do ponto de vista estritamente legal, não se exige dos cursos de graduação em Educação Física mudança profunda na composição da estrutura curricular, a não ser aumento de carga horária e, conseqüentemente, duração de curso; ,a legislação e as discussões acadêmicas possuem pontos comuns, sobretudo quando fazem a crítica aos cursos de graduação e tratam de advogar a criação do Bacharelado. Mas, as discussões acadêmicas parecem avançando na direção de um novo modelo para preparação profissional e produção de conhecimento na área; ,as instituições pesquisadas ao estruturarem seus cursos de graduação seguiram as determinações normativas da lei. Por serem instituições públicas e gozarem de autonomia puderam ignorar a sugestão de matérias e/ou disciplinas para composição do currículo do curso de Educação Física – Anexo I; ,à exceção da justificativa de mudança curricular apresentada pela EEFD/UFRJ, as outras instituições desenvolveram suas respectivas mudanças curriculares baseadas nas idéias encontradas na literatura, embora partam de pontos de vista diferentes.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000114634&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.