Presença Americana na Educação Física Brasileira: Padrões Culturais na Imprensa Periódica (1932-1950)

Por: Wallace Rocha Assunção.

2012 26/03/2012

Send to Kindle


Resumo

Esta pesquisa procura compreender a circulação e as apropriações do americanismo, movimento político-cultural que nasce a partir da hegemonia interna desenvolvida pelos Estados Unidos da América e que se torna modelo de modernidade para outros países. Utiliza, como referencial teórico-metodológico, o repertório da Nova História Cultural, bem como o modelo indiciário fundamentado na microhistória italiana. Como fonte documental, faz uso das publicações periódicas da Educação Física que circularam no Brasil na primeira metade do século XX. A análise do corpus documental indica que, a partir de 1932, com a publicação dos primeiros periódicos da Educação Física, é observável a circulação e a apropriação das representações sobre o americanismo, cujos traços culturais permeiam as práticas esportivas e a forma escolar da Educação Física. Mais que isso, os indícios apontam para uma estratégia de divulgação do modo de vida americano, síntese de eficácia e modernidade, especialmente nas revistas publicadas por editoras comerciais que fazem mais referências aos Estados Unidos que as publicações de editoras autárquicas, utilizando para isso, algumas vezes, o movimento pan-americanista, havendo ainda a circulação de publicidade de produtos e bens de consumo produzidos por indústrias americanas. Podemos constatar ainda que, embora não possa ser caracterizada como um locus de difusão do americanismo, a Associação Cristã de Moços contribuiu com essa circulação e consequente apropriação do americanismo pelo fato de ter sido trazida para a América do Sul por americanos que, em suas atividades, trouxeram imagens da cultura americana como o ápice da modernidade

Endereço: http://www.bdtd.ufes.br/

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.