Prevalência de Dor Lombar e Qualidade de Vida no Terceiro Trimestre de Gestação

Por: Denise Nakawatase, Eduardo Filoni e Vera Lúcia dos Santos Alves.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.7 - n.2 - 2015

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Correlacionar a dor lombar no terceiro trimestre gestacional com a qualidade de vida (QV).

MÉTODOS: A amostra foi composta por 120 mulheres no terceiro trimestre de gestação, sendo 40 gestantes no 7º mês (28ª semana à 31ª semana), 40 gestantes no 8º mês (32ª semana à 35ª semana) e 40 gestantes no 9º mês (36ª semana à 39ª semana). Trata-se de um estudo descritivo de paradigma quantitativo e corte transversal. Foram utilizados como instrumentos para a coleta de dados: a ficha de avaliação, a Escala Analógica de Dor e Incapacidade Funcional (EADIF) e o questionário WHOQOL-bref. Para a avaliação dos dados foi utilizada análise estatística descritiva (média, desvio padrão, mínimo e máximo). O teste de correlação de Spearman foi aplicado para determinar a confiabilidade das medidas.

RESULTADOS: Das gestantes analisadas, 80,83% apresentam lombalgia. Quanto à intensidade da dor, aumentou com o tempo de gestação. Na 29ª semana, houve um pico de dor e entre a 35ª à 37ª semanas também, apresentando uma escala entre ‘pouca dor’ e ‘dor razoável’. Observou-se que o domínio físico é o que melhor se correlaciona, tanto com o escore total do Whooqol-bref, quanto no da EADIF. Os índices de QV demonstraram que as gestantes apresentaram um intervalo entre ‘nem satisfatório, nem insatisfatório’ e ‘satisfatório’.

CONCLUSÕES: As modificações físicas e emocionais que acontecem durante a gestação nem sempre constituem os fatores intervenientes na QV das gestantes.

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/2870

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.