Prevalência de Dores Osteomusculares com Distintos Níveis de Força Muscular em Mulheres Idosas

Por: Carlos Leandro Tiggemann, Caroline Pietta Dias, Lucas Ariel Dullius, Maira Cristina Wolf Schoenell e Matias Noll.

Arquivos de Ciências do Esporte - v.6 - n.4 - 2018

Send to Kindle


Resumo


Introdução: O declínio de massa muscular está associado a redução da força e perda da funcionalidade na população idosa, sendo as queixas de dores articulares e musculares outro fator que pode prejudicar a qualidade de vida dos mesmos. Objetivo: comparar a prevalência de dores osteomusculares com distintos níveis de força muscular em mulheres idosas. Métodos: A amostra foi composta por 43 mulheres com idade média de 65,33±4,54 anos. Para a avaliação da força máxima foi aplicado o teste de uma repetição máxima e para a mensuração da presença de dores foi usado o questionário Nórdico de Dor. Resultados: A prevalência de dor nos últimos 12 meses acometeu um maior percentual de sujeitos nas regiões da parte inferior das costas (69,8%) e dos ombros (62,8%), não sendo encontradas associações entre os níveis de força e a presença de dores osteomusculares. Conclusão: Não foi possível associar o maior nível de força a uma diminuição nos relatos de dores.

Referências

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeção da população do Brasil por sexo e idade: 1980 – 2050. IBGE. 2013. [Acesso 28/9/2017]. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/projecao_da_populacao/2008/default.shtm

Veras R. Estratégias para o enfrentamento das doenças crônicas: um modelo em que todos ganham. Ver. Bras. Geriatr. Gerontol. 2011; 14(4):779-86.

Seidl EMF, Zannon CMLC. Qualidade de vida e saúde: aspectos conceituais e metodológicos. Cad. Saúde Pública. 2004, 20(2): 580-588.

Cruz-Jentoft AJ et al. Sarcopenia: European consensus on definition and diagnosis: Report of the European Working Group on Sarcopenia in Older People. Age and Ageing. 2010; 39(4):412-23.

Pedrinelli A, Garcez-Leme LE, Nobre RSA. O efeito da atividade física no aparelho locomotor do idoso. Rev. bras. Ortop. 2009;44(2): 96-101.

Araujo MLM, Flo CM, Muchale SM. Efeitos dos exercícios resistidos sobre o equilíbrio e a funcionalidade de idosos saudáveis: artigo de atualização. Fisioter. Pesqu 2010;17(3):277-283.

Bemden D, Bemben M. Dose-response effect of 40 weeks of resistance training on bone mineral density in older adults. Osteoporos Int. 2011; 22 (1):179-86.

Tiggemann CL. et al. Envelhecimento e treinamento de potência: aspectos neuromusculares e funcionais. Revista da Educação Física/UEM. 2013, 24(2): 295-304.

Dellaroza MSG. et al. Associação de dor crônica com uso de serviços de saúde em idosos residentes em São Paulo. Rev. Saúde Pública. 2013; 47(5): 914-22.

Leveille S et al. Chronic Musculoskeletal pain and the occurrence of falls in an older population. JAMA. 2009; 302 (20): 2214-21.

Hassan BS et al. Effect of pain reduction on postural sway, proprioception, and quadriceps strength in subjects with knee osteoarthritis. Ann Rheum Dis. 2002; 61(5):422-8.

Sled E et al. Effect of a home program of hip abductor exercises on knee joint loading, strength, function, and pain in people with knee osteoarthritis: A clinical trial Phys Therapy. 2014; 90(6):895-904.

Lindstrom R et al. Association between neck muscle coactivation, pain, and strength in women with neck pain. Manual Therapy. 2011; 16(1):80-86.

Brown L, Weir J. ASEP procedures recommendation I: accurate assessment of muscular strength and power. Journal of Exercise Physiology 2001; 4 (3):1-21.

Tiggemann CL. et al. Perceived exertion in different strength exercise loads in sedentary, active, and trained adults. J Strenght Cond Res. 2010; 21(8):2032-41.

Mesquita C, Ribeiro J, Moreira P. Portuguese version of the standardized Nordic musculoskeletal questionnaire: cross cultural and reliability. J Public Health. 2010; 18 (5):461-466.

Pereira, E. et al. Estilo de vida, prática de exercício físico e dores musculoesqueléticas em idosas fisicamente ativas. RBCEH. 2009; 6(3):343-52.

Gioda F et al. Dor lombar: relação entre sexo e estrato etário em idosos praticantes de atividades físicas. Fit PerfJ. 2010; 9(1): 46-51.

Oliveira A et al. Impacto dos exercícios na capacidade funcional e dor em pacientes com osteoartrite de joelhos: ensaio clínico randomizado. Rev Bras Reumatol. 2010; 52(6):870-882.

Henriksen M et al. Experimental Knee pain reduces muscle strength. The journal of Pain. 2011; 12(4): 460-467.

Thijis Y et al. Is Hip muscle weakness a predisposing factor for patellofemoral pain in female novice runners? A prospective study. Am J Sports Med. 2011; 39(9):1877-1882.

Croisier JL et al. Strength imbalances and prevention of hamstring injury in professional soccer players: a prospective study. Am J Sports Med. 2008; 36(8):1469-75.

Cingel R et al. Isokinetic strength values, conventional ratio and dynamic control ratio of shoulder rotator muscles in elite badminton players. Isokinetics and Exercise Science. 2007; 15(4): 287-93.

Aquino C et al. Análise da relação entre dor lombar e desequilíbrio de força muscular em bailarinas. Fisioter Mov. 2010; 23(3):399-408.

Stickley CD et al. Isokinetic Peak Torque Ratios and Shoulder Injury History in Adolescent Female Volleyball Athletes. J Athletic Training. 2008; 43(6):571-7.

Silva M, Fassa A, Valle N. Dor lombar crônica em uma população adulta do sul do Brasil: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública. 2004; 20(2): 377-85.

Bruckenthal P. Assessment of pain in the elderly adult. Clin Geriatr Med. 2008; 24(2):213-36.

US Department of Health and Human Services (HHS). Musculoskeletal disorders and workplace factors. A critical review of epidemiologic evidence for work related musculoskeletal disorders of the neck, upper extremity and low back. 1997; 134-5.

Souza I et al. Avaliação da dor e lesões ocasionadas pelo trabalho em cirurgiões-dentistas na cidade de Fortaleza/Ce. Ver Fisioter S Fun. Fortaleza. 2012; 1(2): 35-41.

Costa D, Palma A. Efeito do treinamento contra resistência na síndrome da dor lombar. Rev Por Cien Desp. 2005; 5(2):224-234

Endereço: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces/article/view/3506

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.