Prevalência de Lesões na Ginástica Artística Masculina de Alto Rendimento

Por: Natália Batista Albuquerque Goulart.

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte - v.30 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo

A proposta deste estudo foi investigar a prevalência de lesões na ginástica artística masculina de alto rendimento. Vinte ginastas brasileiros da categoria adulta, com 23,1 ± 6,5 anos, 13,9 ± 5,0 anos de prá- tica no esporte e 36,5 ± 4,7 horas de treino semanais, participaram do estudo. Os atletas responderam o questionário de lesões referidas, formulado a partir de estudos da literatura, para obter informações sobre as características e circunstâncias das lesões. Foram considerados dados sobre o aparelho ou evento do treinamento em que ocorreu a lesão, o local anatômico lesionado, o tecido biológico afetado e o retorno às atividades após a lesão. Os dados foram avaliados por meio de estatística descritiva, a partir das frequências absolutas e relativas. A sobrecarga de treinamento e os aparelhos solo, cavalo com alças e salto sobre a mesa foram os eventos com maior frequência de lesões. Em relação ao local anatômico, tornozelo, mãos/dedos e ombro foram as regiões mais citadas. Os tecidos ligamentares e ósseo, bem como a cápsula articular foram os tecidos biológicos mais afetados. Em relação ao retorno às atividades, 56% relataram melhora, 33% reportaram retorno ao mesmo nível prévio à lesão e 10% relataram piora do desempenho após retorno às atividades. As lesões na ginástica artística masculina estão associadas às demandas mecânicas do esporte. A análise dos fatores de risco contribui no entendimento dos mecanismos das lesões na ginástica, bem como pode auxiliar em estratégias efetivas de prevenção.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1807-55092016000100079&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.