Prevalência de Dislipidemias e Atividade Física em Adolescentes de Londrina - Pr

Por: Crisieli Maria Tomeleri.

2012 09/02/2012

Send to Kindle


Resumo

Embora, diversos benefícios da prática regular de exercícios físicos para a saúde já estejam bem documentados, o impacto que a atividade física exerce sobre a dislipidemia em crianças e adolescentes, não está totalmente estabelecido. Assim, o propósito do presente estudo foi analisar a prevalência de dislipidemias e suas possíveis associações com os níveis de atividade física em adolescentes do município de Londrina/PR. Para tanto, foram avaliados 1.014 adolescentes, matriculados em escolas públicas do município de Londrina/PR. As informações referentes à prática de atividades físicas foram obtidas pelo questionário de Baecke, e foi considerado fisicamente ativo o adolescente que reportasse mais do que 240 min por semana (> 4 h/sem) de atividades físicas de intensidade moderada ou vigorosa, nos últimos quatro meses. O diagnóstico de dislipidemias foi estabelecido com base nos pontos de corte sugeridos pela literatura, baseados nas concentrações não favoráveis de lipídios-lipoproteínas plasmáticas. Medidas antropométricas e estimativas da maturação biológica também foram obtidas. Observou-se uma elevada prevalência de adolescentes com alterações no perfil lipídico (61%). A dislipidemia caracterizada pelo CT elevado (38,3%), seguida de baixo HDL-C (30,1%) foram as mais encontradas. Os meninos apresentaram maiores taxas de prevalência para a dislipidemia de baixo HDL-C quando comparados com as meninas (35,5% vs. 26,1% P = 0,001). A prevalência de indivíduos que apresentaram nível de atividade física insuficiente foi de 82% e diferiu-se entre os sexos, tendo as meninas, a taxa mais elevada (87,7% vs. 73,4% P < 0,01). No sexo masculino, a atividade física associou-se a dislipidemia de baixo HDL-C (P < 0,05). Após análise multivariada com o ajuste das variáveis, idade, estado nutricional e maturação, observou-se que os meninos ativos tiveram uma proteção de 42% para a dislipidemia de baixo HDL-C (OR = 0,58). Os resultados sugerem que a alta prevalência de dislipidemias encontrada, pode estar associada com baixos níveis de atividade física em adolescentes. 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000178748

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.