Prevalência de Lesões e Tipo de Treinamento de Atletas Amadores de Corrida de Rua

Por: Diogo Gonçalves de Oliveira, , Ivanildo Silva Souza e Monique Floret.

Corpus Et Scientia - v.8 - n.1 - 2012

Send to Kindle


Resumo

Através de observações assistemáticas verifica-se o crescimento da prática regular da corrida de rua. No Rio de Janeiro quase todo final de semana existem eventos dessa modalidade, principalmente, no Aterro do Flamengo. A partir desse cenário o objetivo do estudo foi verificar a prevalência de lesões em corredores de rua e os impactos dessa prática em suas vidas. Trata-se de um estudo descritivo do tipo transversal, com participantes de corridas de rua de ambos os sexos. A amostra do estudo foi de 77 corredores de rua, que responderam a um questionário composto por 27 perguntas para identificar a rotina dos treinamentos elaborado e validado por Almeida et. al. (2011). Os resultados apontam que 37 (48,1%) realizam de três a quatro vezes por semana, 62 (80,5%) com uma sessão ao dia, 56 (72,7%) treinam até 120 minutos ao dia, 27 (35,1%) com tempo estimado em minutos para 10 km e apenas 17 (22,1%) possuem treinador, entretanto 32,5% (25) dos participantes tiveram lesões no último ano. A região do corpo mais afetada por elas foi o joelho 14,3% (11). Demonstraram satisfação na prática da corrida, o que é um fator que pode ser positivo para evitar agravos à saúde, além daqueles conhecidos pelas alterações fisiológicas decorrentes do treinamento aeróbio. Este fato evidencia que esta atividade deve ser mais divulgada para haver maiores adesões buscando contribuições para a saúde da população.

Endereço: http://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/corpusetscientia/article/view/7/12

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.