Prevalência de Pressão Arterial Elevada e Fatores de Risco Associados em Adolescentes da Cidade de Londrina-PR

Por: Diego Giulliano Destro Christofaro.

71 páginas. 2008 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Data da defesa: 12/12/2008  O rápido crescimento na ocorrência de valores elevados de pressão arterial entre populações jovens constitui uma grande preocupação para profissionais da área da saúde e precisa ser acompanhado de perto. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar a prevalência de pressão arterial elevada e fatores de risco associados em adolescentes da Cidade de Londrina, Estado do Paraná. O estudo se caracteriza como epidemiológico de coorte transversal. A amostra foi composta por 1021 meninos e meninas matriculados de 5ª. a 8ª. séries do Ensino Fundamental de Londrina, Paraná. Para o cálculo do Índice de Massa Corporal foram aferidas a massa corporal e a estatura. O aparelho utilizado para a medida da pressão arterial nos adolescentes foi o aparelho Oscilométrico OMRON, Modelo HEM-742. A pressão arterial foi avaliada com os sujeitos em repouso e por duas vezes consecutivas, com intervalo de dois minutos entre as aferições. As medidas da variável dependente foram analisadas pelos seguintes questionários: A condição econômica, a atividade física habitual, comportamentos sedentários e inadequada ingestão alimentar. A prevalência foi calculada levando em consideração o número de indivíduos com a indicação positiva para a presença da pressão arterial elevada dividido pelo número total de indivíduos estudados. O Índice Kappa analisou a concordância das informações fornecidas pelos questionários em ambos os momentos analisados. O Teste Qui-Quadrado foi utilizado para comparar proporções e verificar a existência de associação entre a presença/ausência de pressão arterial elevada (variável resposta) com as variáveis independentes. As variáveis que apresentaram significância estatística no modelo univariado foram utilizadas na Regressão de Poisson, com ajuste robusto da variância. Os resultados indicaram prevalência de pressão arterial elevada de 11,8% e associação significativa com o excesso de peso corporal de 2.13 (1.65-3.24). Conclui-se que valores elevados de pressão arterial encontram-se fortemente atrelados ao excesso de peso corporal, tornando necessária a criação de estratégias que visem diminuir do excesso de peso corporal. 

Endereço: http://www.uel.br/pos/ppgef/portal/pages/banco-de-defesas/uel/2008.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.