Prevalência de Transtorno de Déficit de Atenção/hiperatividade em Relação Ao Gênero de Escolares

Por: Fernando Luiz Cardoso, Samantha Sabbag e Thaís Silva Beltrame.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.9 - n.1 - 2007

Send to Kindle


Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo verificar possíveis diferenças de sexo nos subtipos do TDAH. Está caracterizada como descritiva-exploratória, não probabilística. Foram indicadas pelos professores 84 crianças, com idade entre 6 e 16 anos, nas quais foram aplicadas as escalas de avaliação DSM-IV e EDAH. Destas, 71 obtiveram indicativos positivos do transtorno através de pelo menos um dos instrumentos, sendo 51 meninos e 20 meninas, ou seja, na média de 3,5 meninos para cada menina. A amostra obteve um resultado dentro do esperado quanto à prevalência do TDAH no sexo masculino. Diferença que talvez ocorra porque as meninas são subdiagnosticadas por possuírem mais sintomas de desatenção que hiperatividade.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/4032

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.