Produção Científica Brasileira em Educação Física -1973/1988

Por: , Ana B. Marques, Andrea Rouede, Gislene Zapatta, José S. Barbosa, Luis A. Batista, Marcos Ferreira, Paulo de Tarso Veras Farinati e Roberto F. Santos.

I Congresso internacional de Educação Física de Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

A presente análise das tendências da pesquisa, através das dissertações de mestrado, faz parte de um estudo mais amplo sobre os 15 últimos anos da produção científica brasileira em Educação Física. A análise efetuou-se sob o enfoque da SOCIOLOGIA DA CIÊNCIA e foi adotado o argumento de Kuhn (1968; 1970), de que o processo científico é devido a uma relativa autonomia da ciência como instituição da sociedade. Com base neste argumento, adaptou-se de Lammers (1974) um modelo para análise. Foram identificadas no período, 316 dissertações. Para identificar as tendências da pesquisa, usou-se o SRAPE (FARIA JÚNIOR, 1987), construído com base num modelo heurístico, fundamentado num construto do tipo inputoutput» As tendências, em ordem decrescente de frequência, distribuiram-se da seguinte forma: PEDAGOGIA (47,79%), TÉCNICA (21,55%), BIOLÓGICA (11,49%), SÓCIO-ANTRO-POLÓGICA (10,45%), PROMOÇÃO DA SAÚDE (7,59%), FILOSÓFICA (0,96%).

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.