Produção do Conhecimento Sobre Formação em Educação Física no Brasil

Por: Juliana Rufino Orthmeyer.

2011 20/06/2011

Send to Kindle


Resumo

Levantamentos bibliográficos demonstram o crescimento da produção do conhecimento referente à formação profissional em Educação Física no Brasil. Entretanto, a ausência de mapeamento desta, dificulta o conhecimento do seu estágio de desenvolvimento e impede a identificação de problemáticas significativas ainda não investigadas. Tendo em vista que a produção de conhecimentos se apresenta como grande força produtiva do século XXI, objetivamos fazer um levantamento de dados em Dissertações e Teses que subsidie a formação em nível de pós-graduação e viabilize explicar o que é esta produção, de que se trata e as problemáticas abordadas. Esta pesquisa bibliográfica teve 2 etapas, a primeira visou a: Identificação e levantamento da produção (Dissertações e Teses); Catalogação da produção (autor, título, ano de publicação, imprenta); Compilação das obras reunido-as em acervo físico e banco de dados eletrônico; Análise e sistematização das Teses tendo como referência a problemática delimitada. A segunda etapa visou a análise de 5 Teses de doutorado: a de João Batista Andreotti Gomes Tojal; a de Celi Nelza Zulke Taffare; a de Samuel de Souza Neto; e a de Hugo Norberto Krug com o intuito de mapear os objetivos; justificativas; a teoria e o método; como também as análises; explicações; resultados e conclusões da Tese; o contexto de histórico, as referências e autores utilizados. Os dados da primeira etapa demonstram que: (a) a produção de conhecimento em Dissertações e Teses teve inicio em 1982, deixa de existir e em 1988 é retomada, tendo um crescimento inconstante. Em 2009, chegou a 9 obras; (b) há maior quantidade de estudos voltados a formação de professores em detrimento de profissionais; (c) a UNICAMP aparece com 23 obras, depois a UFSC com 19 e a UFSM com 9, sendo estas, referência no campo de formação; (d) as temáticas mais estudadas foram, processos de formação (19), saberes e competências (15) e produção de conhecimento (12); (e) Tojal orientou 7 trabalhos, seguido por Nascimento com 5 e Gallardo e Krug com 4. Na segunda etapa, que consistia na leitura e análise das Teses, notamos que: (a) a teoria mais utilizada é a construtivista; (b) a maioria dos trabalhos se justifica tendo em vista uma melhor formação; (c) que alguns pesquisadores reconhecem que a Educação está relacionada ao atual modo de produção e sofre com as mazelas do capitalismo e neoliberalismo. Evidenciamos que muito se produz sobre formação profissional em Educação Física no Brasil, mas pouco se sabe sobre esta produção. Consideramos que pensar em uma formação melhor requer que estejamos cientes de que as relações de produção capitalista caracterizam e permeiam a todas as práticas de existência. A contraposição de idéias se encontra no modo de produção e é preciso superá-lo.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000166513

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.