Projetos de Inclusão Social I - História e Conceitos

Por: Heloisa G. P. Nogueira, , e Nilda Teves.

Atlas do Esporte no Brasil.

Send to Kindle


Resumo

A mobilização crescente da sociedade em torno da elaboração de projetos de intervenção social (por vezes denominados de PIS), quer no âmbito específico do esporte e da Educação Física quer como empreendimentos no campo da cultura e da educação, torna imperativo definir, no âmbito deste Atlas, o que se entende por inclusão social em ambas as dimensões. Em princípio, os PIS que usam o esporte e/ou a Educação Física como meio de mobilização dos destinatários e da associação destes com os interventores – voluntários, grupos comunitários e/ou instituições, profissionais etc – podem ser definidos como ações de intervenção para o desenvolvimento social em que são estabelecidos objetivos comuns com os destinatários, de acordo com as propostas do projeto. Outros meios, tais como projetos culturais e de proteção ambiental, possuem vantagens relativas similares ou distintas do esporte. A natureza dos projetos, se relacionada ao processo formal de educação ou complementar a estes meios, é que definirá o alcance possível dos níveis de inclusão social. Esta terminologia é recente e teve origem na expressão inglesa full inclusion. Trata-se de um novo paradigma que prescreve a educação de todos os alunos nas classes e escolas de bairro. Significa que todas as crianças devem ser incluídas na vida social e educacional, e não somente posicionadas no curso geral da escola e da comunidade (Carmo, 2002).

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.