Proletarização do Trabalho Docente : Implicações na Educação Física Escolar

Por: Guilherme Bardemarker Bernardi.

2014 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Esta dissertação de mestrado é um estudo sobre o processo de proletarização do trabalho docente na Educação Física escolar. O problema da pesquisa ficou delimitado da seguinte maneira: Como o professor de Educação Física organiza seu trabalho pedagógico frente ao processo de proletarização docente? Partindo da teoria marxista, consideramos o trabalho como categoria fundante do ser humano e também em sua forma histórica, assumida na sociedade capitalista. Dessa forma, foi possível relacionar trabalho e educação e compreender seus efeitos na instituição escolar. Assim, discutimos a questão da proletarização, compreendida como um processo que amplia as relações capitalistas dentro da escola e que subtrai dos professores diversas qualidades, além de precarizar e intensificar o trabalho do professor, retirando-lhes o controle e o sentido da docência. Para compreender como este processo interfere especificamente no âmbito da Educação Física, nossa abordagem metodológica baseou-se em elementos da pesquisa qualitativa, realizada em escolas da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre (RMEPOA). Colaboraram cinco professores de Educação Física escolhidos de forma intencional, dos quais observamos as aulas e com quem realizamos entrevistas, mais uma professora que atuava também como dirigente da Associação dos Trabalhadores em Educação de Porto Alegre ( ATEMPA ), com quem realizamos uma entrevista. Nossos achados indicam que a proletarização é um processo que ocorre no âmbito da escola, sem um confronto por parte dos professores, que buscam estratégias diversas para organizar seu trabalho. Após a realização das observações e das entrevistas, analisamos e organizamos o material em três categorias de análise. A primeira delas fala sobre o processo de ingresso na rede e como, desde o início, as implicações da proletarização afetam a organização do trabalho dos professores – diferentemente do trabalho fabril, a lógica escolar, em muitos casos, deixa o trabalho mais difícil para os professores iniciantes, que recebem pouco acompanhamento no início de sua carreira como docentes. A segunda categoria trata da autonomia frente ao processo de proletarização. Vimos que as questões estruturais e materiais são determinantes no planejamento dos professores. Outra questão importante é o fato de as políticas públicas isolarem o trabalho do professor de Educação Física em favor de uma série de projetos esportivos, dos quais os professores da escola não participam nem de sua concepção nem de sua execução. A terceira categoria trata da organização coletiva. Foi possível considerar que existe uma dificuldade de organização por parte dos próprios professores da área nos seus contextos escolares devido a um isolamento decorrente de uma estrutura fragmentada. No âmbito sindical, existe uma relação heterogênea com o movimento por parte dos professores. Muitos não creem na atual forma de representação, além de se sentirem desapontados após anos de luta que acreditam não ter surgido efeito. Outros mantêm acesa uma esperança de mudança por meio da participação coletiva no sindicato. Por fim, os professores têm seu trabalho cada vez mais intensificado, devido às enormes demandas sociais que as escolas municipais e suas comunidades têm apresentado. Isso acarreta uma dificuldade de planejamento tanto individual quanto coletivo e acaba interferindo no trabalho cotidiano dos professores, que recorrem a diversas estratégias de sobrevivência, culminando em dificuldades de organização para a própria escola. Ainda assim, é possível ver movimentos contraditórios, tanto pessoais quanto coletivos, que têm tentado contrapor essas dificuldades hoje existentes.

Endereço: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/URGS_b14ab3b1bd188b7b69fbf437435e7b42

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.