Proposição de Um Ponto de Corte Para a Razão Gordura de Tronco Inferior/tronco Superior em Adolescentes

Por: Ciro Brito e Maria Fátima Glaner.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Elevados níveis de obesidade central estão relacionados a maior predisposição
à doenças crônicas não-transmissíveis, entretanto ainda não se sabe a fração
ideal entre a gordura da região superior e inferior do tronco. Este estudo teve
por objetivo propor um ponto de corte entre a gordura do tronco inferior/
gordura do tronco superior, como indicador de risco para acúmulo excessivo
de gordura central, em função dos padrões da AAPHERD (1988), de 16 a
36mm para o somatório das dobras triciptal e panturrilha. Foram medidas 696
adolescentes gaúchas e catarinenses, com idade variando entre 11 e 17 anos.
Mensurou-se as dobras cutâneas triciptal (TR), subescapular (SE), abdominal
(AB), supra-ilíaca (SI) e panturrilha (PA).A proporção entre a gordura inferior/
superior do tronco foi estabelecida por AB+SI/SE+TR. Utilizou-se estatística
descritiva e tabela de contingência 2 X 2 para estabelecer o ponto de corte
ideal para a fração gordura do tronco inferior/superior. Os valores médios
obtidos foram 48,46 +/- 20,91mm para AB+SI e 31,95 +/- 12,42mm para
SE+TR. De acordo com a AAPHERD 398 adolescentes (55,45%) foram
classificadas como obesas. Em seguida ajustou-se o ponto de corte aos valores
que mais se aproximavam ao padrão. Em principio, utilizou-se como ponto de
corte, a proporção 1,5 entre gordura inferior do tronco/superior e obteve-se
444 adolescentes (63,8%) classificadas como obesas, por conseguinte, a
proporção 1,4 classificou 329 adolescentes como obesas (47,2%). A proporção
1,45 foi a que melhor se adequou, classificando 403 adolescentes como obesas
(57,82%), índice similar aos padrões utilizado em comparação. Em relação a
AAPHERD, valores acima da proporção estabelecida neste estudo são
indicadores indiretos para instalação precoce de doenças secundárias à
obesidade, pois, elevados níveis de gordura abdominal resultam em elevação
dos triglicérides e lipoproteína de baixa densidade, aumentando a predisposição
à aterosclerose e o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Estes
resultados permitem inferir que uma proporção entre a gordura da região
inferior do tronco/superior menor que 1,45 representam um fator de proteção
às doenças crônicas não-transmissíveis,que esta terá uma distribuição mais uniforme da gordura na região do tronco.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.