Prospecção de Talentos Motores Para Rugby: Proposta de Modelo a de Indicadores Somatomotores

Por: , Eraldo dos Santos Pinheiro, Gabriel Gustavo Bergmann e Marcelo Silva Cardoso.

37º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte - SIMPOCE

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O Rugby é uma modalidade em ascensão no Brasil. A inserção nas escolas se tornou uma das bandeiras da Confederação brasileira de Rugby. Além disso, a criação de centros de treinamento é fundamental para o desenvolvimento. Para tanto necessitamos de critérios de referências baseadas em evidências para selecionar os atletas participantes Objetivo: O objetivo do presente estudo foi o de propor um modelo de identificação de características somatomotoras em escolares para a prospecção de possíveis talentos esportivos para o Rugby XV Método: Fizeram parte da amostra 195 escolares do sexo masculino com idades entre 16 e 17 anos e 32 atletas do sexo masculino da seleção brasileira de Rugby menores de 18 anos, divididos em dois grupos Forwards (n=17) e Backs (n=15). Este estudo foi realizado a partir da base de dados de escolares proveniente do Projeto Esporte Brasil (PROESP-Br) e da base de dados da Confederação Brasileira de Rugby. Para todos os grupos as medidas e testes foram realizadas conforme o protocolo do PROESP-Br, com exceção da Aptidão Cardiorrespiratória (ACR) dos atletas que foi realizado através do Yoyo test. Para agrupar as unidades de ACR recorremos a equação de Bergmann et al. (2014) e Barnett et al. (1993) transformando as unidades em VO2máx.. Para analisar os dados recorremos à Análise da Função Discriminante (AFD). Todos os dados foram analisados através do SSPS for Windows. Resultados: Conforme a tabela, a comparação entre Forwards e Escolares apresentou diferença estatisticamente significativa em todas as variáveis. Já quando comparamos Backs com Escolares não houve diferença somente na Estatura e na Envergadura. Os dados para comparação Forwards e Escolares demonstrou que a função foi significativa (p≤0,05), apresentou um correlação canônica (CC) boa (0,687) e um Lambda de Wilks (LW) médio (0,528), esse conjunto de informações direciona a afirmar que essa função tem um boa relação com as variáveis analisadas e difere com poder significativo os grupos estudados. A função de Backs e Escolares apresentou resultados semelhantes, CC boa (0,638) e LW médio (0,593) tendo um desfecho igual ao grupo dos Fowards e Escolares. Os valores médios de cada grupo na FD 1 foram: Fowards (3,188) e Escolares (-0,278). Na FD 2 foram: Backs (2,974) e Escolares
Tabela
Conclusão: Assim, um escolar com vocação motora para o Rugby quando o Y da equação FD for maior que 1,216 para Forward e maior que 1,418 para Backs. Portanto, é possível identificar através de um modelo matemático quais são as variáveis que discriminam os sujeitos com características motoras semelhantes a de atletas de Rugby do grupo de Escolares.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.