Psicologia do Esporte – Sobrape

Por: João Alberto Barreto e Luiz Scipião Ribeiro.

Atlas do Esporte no Brasil.

Send to Kindle


Resumo

Origens e definições A psicologia do esporte tem um de seus primeiros fundadores Norman Triplett dos EUA, que em 1898 identificou diferenças de desempenho entre ciclistas que treinavam individualmente e em grupo. O primeiro laboratório de estudos psicológicos de atletas foi instalado na Escola de Esportes de Berlim, na Alemanha (hoje Universidade do Esporte de Colônia), em 1920. Nos EUA, uma iniciativa semelhante aconteceu na Universidade de Pensilvânia em 1925. Mas esta área de conhecimento somente foi instituída a partir da formação da International Society of Sport Psycholoy-ISSP em 1965, quando especialistas em psicologia e esportes se reuniram pela primeira vez em um congresso internacional em Roma. No Brasil, este mesmo evento acadêmico pode ser considerado um marco fundador, uma vez que Athayde Ribeiro da Silva, psicólogo de profissão – então atuando no Instituto de Seleção e Orientação Profissional-ISOP, no Rio de Janeiro –representou o Brasil no congresso de Roma. Athayde Ribeiro da Silva fundou uma associação para promover a nova área de conhecimento e intervenção. Embora, a entidade promotora não tenha vingado, Athayde Ribeiro da Silva permaneceu como membro da ISSP e participou como autor do primeiro livro científico sobre treinamento esportivo produzido em conjunto por professores de  Educação Física e médicos no Brasil (“Introdução à Moderna Ciência do Treinamento Desportivo”, MEC, Brasília, 1968). Nesta obra coletiva – com Lamartine DaCosta e Maurício Rocha encabeçando mais sete autores de diversas especialidades – o capítulo de “psicologia esportiva” já alinhava o Brasil entre os países promissores no setor por já ter uma certa experiência de estudos e intervenções pioneiras na área. Porém, o passo definitivo  para a introdução da psicologia do esporte no país, aconteceu em 1979, em Novo Hamburgo-RS, com a fundação da Sociedade Brasileira de Psicologia do Esporte da Atividade Física e da Recreação-SOBRAPE. E de modo similar à ISSP, a sociedade brasileira teve início com um congresso organizado em Porto Alegre-RS, por Benno Becker Jr., que foi então eleito presidente da nova entidade. A obra de Athayde Ribeiro da Silva teve um legado representado pelo seu livro “Psicologia esportiva e preparo do atleta”, em que as definições, conhecimentos e procedimentos da  nova área acadêmica e profissional tornaram-se correntes no Brasil. Hoje, as entidades internacionais do setor também têm como ponto de partida definições da psicologia do esporte, seguindo a tradição do congresso de Roma-1965. Por exemplo, a Federação Européia de Psicologia do Esporte-FEPSAC possui uma declaração de princípio (position statement) de 1995, que atribui à psicologia do esporte vínculos com fundamentos psicológicos, processos e conseqüências da regulação das atividades relacionadas ao esporte de uma ou várias pessoas, agindo como sujeitos da atividade. O foco deste conhecimento, nestas circunstâncias, incide nas diferentes dimensões psicológicas do comportamento humano, isto é, afetivo, cognitivo, motivacional ou nas suas dimensões sensoriais e motoras. Nestes termos, resume-se a seguir memória e inventário da psicologia do esporte no Brasil e das correspondentes ações da SOBRAPE.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.