Qualidade de Vida de Atletas Amadores do Sexo Masculino de Pelotas/rs

Por: Cristiano Dall?agnol, Fabrício Boscolo Del Vecc e Rodrigo Del Ponte da Silva.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.22 - n.2 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Os objetivos do estudo foram avaliar e comparar hábitos de saúde e níveis de Qualidade de Vida (QV) de atletas amadores de dife-rentes grupos de modalidades esportivas. Participaram deste estudo 88 atletas amadores do sexo masculino, praticantes de modalida-des coletivas (n=33), individuais (n=30) e lutas (n=25) entre 18 e 35 anos. Os envolvidos preencheram anamnese individual e, para medida de QV, responderam o questionário WHOQOL-bref. In-formações sobre frequência e duração de sessões de treinamento também foram coletadas. De acordo com os achados, atletas de mo-dalidades coletivas exibiram maior consumo de bebidas alcoólicas. Quando comparados a estes, os praticantes de modalidades indivi-duais apresentaram valores superiores nos domínios físico (83,7 ± 9,3 vs 76,8 ± 9,5 pontos, p = 0,03), ambiental (73,4 ± 11,6 vs 66,3 ± 8,9 pontos, p = 0,03) e no escore geral de QV (81,2 ± 6,7 vs 75,2 ± 7,9 pontos, p = 0,01), respectivamente. Não foram encontradas correlações entre domínios da QV e tempo de prática (p = 0,91), frequência semanal de treino (p = 0,39) e duração das sessões de treino (p = 0,59). Ao comparar os resultados de QV com os de re-ferência populacional, níveis mais elevados foram encontrados nos componentes físicos e psicológicos entre esportistas amadores. No presente estudo, a prática esportiva esteve associada a níveis supe-riores de QV de atletas amadores, particularmente nos domínios físico e psicológico. Além do mais, foram encontradas correlações entre escore geral e os domínios da QV

Endereço: http://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/8738

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.