Qualidade de Vida e Motivação de Praticantes de Exercício Físico

Por: Aryelle Malheiros Caruzzo, , Magda Carla Pona, Nayara Malheiros Caruzzo e Renan Codonhato.

Corpoconsciência - v.21 - n.1 - 2017

Send to Kindle


Resumo

O estudo objetivou verificar o impacto do tempo de prática de exercício físico na percepção da qualidade de vida de adultos saudáveis e suas relações com a motivação para a prática. Foram sujeitos 149 praticantes de musculação, de ambos os sexos (idade=27,05±7,54 anos), da região Noroeste do Paraná, que foram divididos em relação ao tempo de prática. Como instrumentos, utilizou-se o Short-Form Health (SF12v2) para avaliar a qualidade de vida e o Inventário de Motivação para o Exercício (EMI-2). Para análise dos dados foram utilizados os testes Kolmogorov-Smirnov, Kruskal-Wallis, Correlação de Spearman e Regressão Logística Binária. Os sujeitos com maior tempo de prática apresentaram 3,14 (1,15-8,61) vezes mais chances de possuírem alta percepção de saúde física (p=0,02) e demonstraram ser mais intrinsicamente motivados (bem-estar e prazer). Conclui-se que a adesão à prática de exercícios físicos é benéfica para a percepção da qualidade de vida relacionada à saúde física.

Qualiadde de vida; Motivação; Exercício físico

Referências

ARAÚJO, Denise Sardinha Mendes Soares; ARAÚJO, Cláudio Gil Soares. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Revista brasileira de medicina do esporte, v. 6, n. 5, p. 194–203, 2000.

ASANO, Ricardo Yukio e colaboradores. Fatores que influenciam a adesão de diabéticos à prática de exercícios físicos. Revista brasileira ciência e movimento, v. 23, n. 1, p. 5-11, 2015.

BARBANTI, Eliane Jany. Avaliação da eficiência e eficácia da prática de dois tipos de exercícios aeróbicos e alongamento na qualidade de vida no tratamento da depressão. Educação física em revista, v. 4, n. 3, p. 1-15, 2010.

BLAIR Steven N. e colaboradores. Changes in physical fitness and all-cause mortality: a prospective study of healthy and unhealthy men. JAMA, Estados Unidos, v. 273, n. 14, p. 1093-1098, 1995.

BRUNONI, Letícia e colaboradores. Treinamento de força diminui os sintomas depressivos e melhora a qualidade de vida relacionada a saúde em idosas. Revista brasileira de educação física e esporte, v. 29, n. 2, p. 189-196, 2015.

DAMÁSIO, Bruno Figueiredo; ANDRADE, Thiago Francisco; KOLLER, Sílvia Helena. Psychometric Properties of the Brazilian 12-Item Short-Form Health Survey Version 2 (SF-12v2). Paidéia, v. 25, n. 60, p. 29-37, 2015.

DECI, Edward L.; RYAN, Richard M. Overview of self-determination theory: an orga-nismic dialectical perspective. In: DECI, Edward L.; RYAN, Richard M. (Orgs.). Handbook of self-determination research. New York: University of Rochester Press, 2002.

FERNANDES, Helder Miguel; VASCONCELOS-RAPOSO, José. Continuum de autodeterminação: validade para a sua aplicação no contexto esportivo. Estudos de psicologia, v. 10, n. 3, p. 85-95, 2005.

FERREIRA NETA, Jaci Souto Maior e colaboradores. Impacto da prática regular de exercício físico na qualidade de vida de diabéticos tipo 2. ConScientiae Saúde, São Paulo, v. 12, n. 4, p. 631-637, 2013.

GUEDES, Dartagnan Pinto; GUEDES, Joana Elisabete Ribeiro. Manual prático para avaliação em educação física. São Paulo: Manole, 2006.

JANUÁRIO, Renata Selvatici Borges e colaboradores. Qualidade de vida em idosos ativos e sedentários. ConScientiae Saúde, v. 10, n. 1, p. 112-121, 2011.

LOBO, Alexandrina. Motivation for physical activity and its relation with the quality of life. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 12, n. 3, p. 405-415, 2009.

MARIANO, Eder Rodrigo e colaboradores. Força muscular e qualidade de vida em idosas. Revista Brasileira de geriatria e gerontologia, v. 116, n. 4, p. 805-811, 2013.

MATIAS, Thiago Sousa e colaboradores. Autodeterminação de adolescentes em diferentes estágios de mudança para o exercício físico. Revista da educação física/UEM, v. 25, n. 2, p. 211-222, 2014.

OLIVEIRA, Aldalan Cunha e colaboradores. Qualidade de vida em idosos que praticam atividade física – uma revisão sistemática. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 13, n. 2, p. 301-312, 2010.

OLIVEIRA, Daniel Vicentini; BERTOLINI, Sônia Maria Marques Gomes; MARTINS JÚNIOR, Joaquim. Qualidade de vida de idosas praticantes de diferentes modalidades de exercício físico. ConScientiae Saúde, São Paulo, v. 13, n. 4, p. 187-195, 2014.

PAFFENBARGER JUNIOR, Ralph Seal Forty years of progress: physical activity, health, and fitness. In: American College of Sports Medicine 40th Anniversary Lectures. Madison: ACSM, 1994.

SANTOS, Ana Lúcia Padrão; SIMÕES, Antônio Carlos. Educação física e qualidade de vida: reflexões e perspectivas. Saúde e sociedade, v. 21, n. 1, p. 181-192, 2012.

SILVA, Fernanda Borges; ALIAS, Antonio; MORENO-MURCIA, Juan Antonio. Predição do motivo de prática ‘fitness/saúde’ através da orientação motivacional e da motivação intrínseca em brasileiros praticantes de exercício físico. Revista portuguesa de ciências do desporto, v. 14, n. 2, p. 47-55, 2014.

SILVA, Maitê Fátima e colaboradores. Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida de idosos sedentários e fisicamente ativos. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 15, n. 4, p. 635-642, 2012.

SILVA, Rodrigo Batalha e colaboradores. Relação da prática de exercícios físicos e fatores associados às regulações motivacionais de adolescentes brasileiros. Motricidade, v. 8, n. 2, p. 8-21, 2012.

STEFFENS, Ricardo de Azevedo Klumb e colaboradores. Efeito da prática conjunta da caminhada e yoga no sono, depressão e qualidade de vida em pacientes com síndrome da fibromialgia. Conscientiae saúde, v. 12, n. 3, p. 371-378, 2013.

STEFFENS, Ricardo de Azevedo Klumb e colaboradores. Exercícios físicos diminuem a dor, a depressão e melhoram a qualidade de vida de pessoas com fibromialgia. ConScientiae Saúde, v. 10, n. 4, p. 749-755, 2011.

STIVAL, Marina Morato e colaboradores. Fatores associados à qualidade de vida de idosos que frequentam uma unidade de saúde do Distrito Federal. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 17, n. 2, p. 395-405, 2014.

TAVARES, Bianca Boscarino e colaboradores. Impact of physical exercise on quality of life o folder adults with depression or Alzheimer’s disease: a systematic review. Trends in Psychiatry and Psychotherapy, v. 36, n. 3, p. 134-139, 2014.

TAIROVA, Olga Sergueevna; DE LORENZI, Dino Roberto Soares. Influência do exercício físico na qualidade de vida de mulheres na pós-menopausa: um estudo caso-controle. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 14, n. 1, p. 135-145, 2011.

WOLD HEALTH ORGANIZATION. Health of the elderly. Geneva: WHO, 1989.

Endereço: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/4685

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.