Qualidade de Vida, Estágios de Mudança de Comportamento e Nível de Atividade Física dos Acadêmicos de Educação Física

Por: Bruna Costa, Gilmário Batista, Nicelle Leão e Pedro Paes.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.20 - n.5 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi identificar os estágios de mudança de comportamento (EMC) e comparar a qualidade de vida (QV) e o nível de atividade física entre acadêmicos ingressantes e formandos do curso de Educação Física de uma universidade pública de Pernambuco. Trata-se de uma pesquisa descritiva com delineamento transversal. A amostra foi constituída por 199 acadêmicos do curso de Educação Física, matriculados no primeiro, segundo, sétimo e oitavo períodos, com média de idade de 21,32±4,00 anos, sendo 61,80% ingressantes (primeiro e segundo períodos). A mudança de comportamento foi verificada pelo questionário EMC, a QV pelo Whoqol-Bref e o nível de atividade física pelo International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). Para análise dos dados foram utilizados o teste t de Student e Qui-quadrado, com nível de significância de 5%. O EMC com maior prevalência foi o estágio de Ação (ingressantes: 53,3% e formandos: 43,9%). Foram encontradas diferenças significativas nos domínios social (p<0,01) e ambiental (p<0,01). Quanto ao nível de atividade física, 82,93% dos ingressantes e 86,84% dos formandos foram fisicamente ativos. Percebe-se que os discentes ingressantes e formandos demonstraram QV, EMC e nível de atividade física relativamente positivas, mas diferem na QV nos aspectos de sociabilidade e adaptação ao meio ambiente.
 

Endereço: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/4478/5166

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.