Qualidade de Vida e Condições de Trabalho de Professores de Educação Básica do Município de Florianópolis - Sc

Por: Érico Felden Pereira.

2008 28/02/2008

Send to Kindle


Resumo

Os professores formam uma categoria profissional exposta a grandes riscos psicossociais, sendo que as condições de trabalho docente têm sido associadas a perdas na saúde e na qualidade de vida. Diante disso, este estudo objetivou identificar e analisar a percepção de qualidade de vida, condições de trabalho e estresse relacionado ao trabalho de professores de educação básica no município de Florianópolis # SC. A amostra foi formada por 349 professores da rede pública (estadual e municipal) de ensino. Os educadores responderam a um questionário formado por quatro seções: a) dados socioeconômicos e características do trabalho; b) qualidade de vida, por meio do instrumento de qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde #Whoqol-bref#, c) percepção sobre as condições de trabalho, utilizando-se o questionário #Perfil de Ambiente e Condições de Trabalho# e d) percepção de estresse relacionado ao trabalho, por meio da #Job Stress Scale#. Os questionários foram avaliados conforme as normas específicas dos instrumentos; a análise de regressão linear foi utilizada para verificar a importância dos domínios da qualidade de vida para a qualidade de vida geral; a análise fatorial foi empregada para identificar qual o conjunto de questões melhor representa a qualidade de vida dos professores e a regressão de Poisson foi utilizada para identificar as variáveis associadas à baixa qualidade de vida. A média de qualidade de vida geral na avaliação do Whoqol-bref foi de 63 pontos (escala de zero a 100). O domínio meio ambiente foi o que apresentou menor escore médio (53 pontos) e junto com o domínio físico (65 pontos) foi o que mais explicou a qualidade de vida geral. O domínio meio ambiente que abarca questões como segurança física e proteção, transportes, oportunidades de crescimento e recursos financeiros foi o domínio mais importante para a qualidade de vida dos professores e o que apresentou maior percentual de professores classificados na região de fracasso para a qualidade de vida (19,2%). Na análise das condições de trabalho as dimensões remuneração e benefícios e meio ambiente foram as que apresentaram um maior percentual de professores na faixa de rejeição (84,8% e 51,6% respectivamente), ao passo que, as variáveis ambiente social e relevância social do trabalho obtiveram o maior percentual de aceitação (92,3% e 84,5% respectivamente). Na análise do estresse relacionado ao trabalho os professores foram classificados em maiores percentuais em situação de trabalho passivo (33%) e de alto desgaste (29%). Os professores de educação física apresentaram escores superiores de qualidade de vida em relação aos demais, principalmente no domínio físico e menor percentual de professores em situação de alto desgaste. As variáveis rede de ensino, tempo de magistério, carga horária, percepção negativa das condições de trabalho e estresse relacionado ao trabalho (trabalhos ativos e de alto desgaste) foram as mais associadas à baixa qualidade de vida. Redução da carga horária frente ao aluno, melhorias salariais, programas de promoção da saúde e controle da indisciplina dos alunos são medidas recomendadas. Sugere-se que estudos longitudinais e de acompanhamento durante o ano letivo sejam realizados.

Endereço: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/92137

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.