Quem Não Faz Leva, as Máximas e Expressões do Futebol Brasileiro

Por: .

Deixa Falar: Megafone da Cultura - 2021

Send to Kindle


Resumo

Uma introdução: futebol e magia

Tai, eu fico um pouco cansado do equívoco daqueles que visualizam a luta política como vinculada apenas a fatores do campo econômico e social. Desde Marx os “símbolos” já eram vistos como elementos que desempenhavam uma função significativa na história da luta de classes. Há na obra do autor de O Capital elementos que comprovam que ele era atento à riqueza contraditória no campo do imaginário.

Como vamos tratar do futebol, um esporte regrado na Inglaterra é preciso estar atento. Benedict Anderson conceituou a nação como “comunidade política imaginada”. E quais seriam os elementos constitutivos e sedimentados da nação brasileira que não o futebol e a música popular brasileira?

Um esporte de elite, inglês, desembarcado no eixo Rio-São Paulo em malas europeias, que em um curto espaço de tempo foi reinventado e incorporado pelas classes populares brasileiras, consolidando-se ao lado do samba como um dos pilares centrais de nosso incipiente Estado-Nação.

O futebol foi responsável pela “Queda da Bastilha” dos clubes aristocráticos, tecendo uma relação mítica na qual a torcida incorpora o próprio clube, agora time.

Endereço: https://www.deixafalarmegafone.com.br/post/quem-nao-faz-leva-as-maximas-e-expressoes-do-futebol-brasileiro

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.