Racismo e a Derrota Que Não Foi Esquecida: Uma Análise dos Discursos de Mário Filho e da Imprensa Escrita Acerca da Final da Copa do Mundo de 1950

Por: , e .

Movimento - v.16 - n.4 - 2010

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste trabalho é comparar o discurso estabelecido por Mário Filho na segunda  edição de "O Negro no Futebol Brasileiro", de1964, e as notícias  dos jornais   da época, no que se refere à culpa atribuída aos  jogadores negros pela  derrota de  1950.  Eles   foram realmente culpados pela  imprensa brasileira  ou se  está falando  de uma "tradição nventada" por Mário Filho no entorno  futebolístico? A fim de solucionar a questão, utilizou-se  dos preceitos da  análise do
discurso e foram   selecionados dois   periódicos  de  grande circulação nacional: o jornal  "O Estado de  São Paulo" e a revista "O Cruzeiro". Com   base   nas matérias averiguadas, pôde-se perceber que não houve qualquer tipo de preconceito racial. Assim, pode-se dizer que o discurso de Mário Filho, ao abordar o  "recrudescimento do racismo",  a partir da narrativa da derrota de 1950, configura-se como uma tradição inventada.

Endereço: http://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/15923/10851

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.