Rafting

Por: Simone Amorim e .

Atlas do Esporte no Brasil.

Send to Kindle


Resumo

No esporte do rafting, a prática, descrita como “descer corredeiras sobre botes infláveis”, consiste na sincronia dos movimentos motores e do trabalho em equipe para percorrer as adversidades das águas brancas, rios e corredeiras. Os percursos são divididos de I a VI níveis, em ordem crescente de dificuldades. Os botes, que podem compor de 6 a 14 pessoas, são confeccionados em material especial o que os torna leves, resistentes e à prova de flutuação, podendo transportar até 2,5 toneladas. Outros equipamentos são indispensáveis à segurança como capacete, coletes salva-vidas, remo e corda de resgate. Embora possa ser praticado por iniciantes, adverte-se que a diversão seja controlada por especialistas e com equipamentos de segurança. O entretenimento prazeroso e saudável, sem exigências técnicas e de condicionamento físico específicos, popularizou o rafting. Aliando o contato direto com o meio ambiente à emoção da conquista em equipe, para muitos sua utilidade funciona também como alívio do estresse. Para as atividades de alto rendimento, as provas dividem-se nas categorias: tiro de velocidade, sprint paralelo, slalom, descenso e duck.

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.