Recreação e Lazer Como Integrantes dos Curriculos dos Cursos de Graduação em Educação Fisica

Por: .

2002 25/06/2002

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desta pesquisa consistiu em diagnosticar e analisar os conteúdos desenvolvidos nas disciplinas relacionadas à recreação e ao lazer nos currículos de cursos de graduação em Educação Física de Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas de nosso país. Os encaminhamentos metodológicos foram baseados na combinação das pesquisas bibliográfica e documental. Além da revisão de literatura, na pesquisa documental foram analisados programas de disciplinas que tinham, como eixo temático, a recreação e o lazer. Para o tratamento dos dados foi utilizada a técnica de análise do conteúdo. A partir das reflexões estabelecidas foi possível perceber a falta de clareza quanto ao enfoque utilizado nas disciplinas analisadas. Muitas delas apresentam a idéia de recreação com ênfase na reprodução de atividades diversas, através do ensino de uma variedade de jogos e brincadeiras, não superando a tradição prática e com dificuldades de fomentar a sistematização de conhecimentos teórico-práticos. O sentido que muitas vezes é atribuído ao lazer está relacionado à sua consideração como algo não sério válvula de escape, fonte de consumo de bens/serviços e meio compensador de frustrações advindas dos problemas gerados em nossa sociedade. Muitos cursos afirmam em seus objetivos que a recreação e o lazer constituem um campo de atuação para o profissional de Educação Física, além do treinamento desportivo e do ensino escolar. No entanto, fica difícil formar profissionais qualificados para atuar nesse campo se esses conhecimentos são trabalhados de forma rápida e superficial, em virtude da pequena abertura que têm nesses cursos, em termos de carga horária, número de disciplinas, abordagem dentro de outros componentes do currículo. A discussão realizada auxilia na busca de novas propostas curriculares que possam suscitar um redimensionamento da recreação e do lazer no interior destes currículos, superando a tradição supostamente prática arraigada e possibilitando um delineamento com mais coerência dos programas das disciplinas desenvolvidas nesse âmbito. É necessário lidar com esses saberes não apenas a partir da oferta de disciplinas, mas através de uma série de ações que possam contribuir com uma formação sólida e que possibilite orientar a formação e a intervenção profissional com base na perspectiva da animação sociocultural. Esta perspectiva tem como objetivo a participação efetiva da população, por meio da ênfase na auto gestão e na busca de uma formação mais crítica e consciente das pessoas, em suas vivências de lazer. Além disso, pode comprometer-se com um projeto transformador de sociedade com a intenção de tomar a realidade mais justa e igualitária, que respeite as diferenças e crie novas possibilidades de participação cultural e de democratização social. Para que este projeto seja concretizado, é necessário que os currículos sejam vistos a partir de uma perspectiva cidadã, ampliando as chances de que as discussões presentes em seu interior constituam canais de resistência, mobilização e engajamento político.

Endereço: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/275362

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.