Send to Kindle


Resumo

AUSTRÁLIA , Departamento de Saúde. Active School Curriculum. Disponível em: <http://www.health.gov.au/internet/healthyactive/publishing.nsf/content/active_school_curriculum.pdf/$File/active_school_curriculum.pdf>. Acesso em: 29 nov. 2015.

ARAÚJO, E. A. C. de; ANDRADE, D. F. de; BORTOLOTTI, S. L. V. (2009). Teoria de resposta ao item. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43: 1000-1008.

BETTI, M.; FERRAZ , O.L.; DANTAS , L.E.T.B.P. Educação Física Escolar: estado da arte e direções futuras. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo, v.25, p.105-15, dez., número especial, 2011.

BOUCHARD, C.; SHEPHARD, R. Physical activity, fitness, and health: The model and key concepts. In: BO UCHARD, C.;

BRAC HT, V. Relatório de Pós-Doutorado. Florianópolis: UFSC, 2012.

BRASIL . Ministério da educação e do desporto. Lei nº 9.394/96, de 20 de Dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, 23 dez. 1996, p. 27833.

BRASIL . Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC /SE F, 1998.

BRASIL . Ministério da Educação. Lei nº 10.793, de 1º de Dezembro de 2003. Altera a redação do art. 26, parágrafo 3º, e do art. 92 da Lei nº 9.394, de 20 de Dezembro de 1996, que “estabelece as diretrizes e bases da educação nacional”, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 02 dez. 2003.

BRASIL . Ministério do Esporte. DIESPORTE: diagnóstico nacional do esporte. Caderno 1. Brasília, 2015.

BRASIL . Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade.Programa Escola Ativa: projeto base. Brasília, 2010. 44 p. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=-download&alias=5716-escola-ativa-projeto-base&Itemid=30192>. Acesso em: 21 nov. 2015.

CALE, L. Promoting Physical Activity through the Active School. The British Journal of Physical Education. v. 28, n.1, pp. 19-21, 1997.

CALE , L.; HARRIS , J. School-based physical activity interventions: effectiveness, trends, issues, implications and recommendations for practice. Sport, Education and Society, 11 (4) p. 401-420. 2006.

CARROLL , L. Through the Looking-Glass and What Alice Found There, Macmillan and Co.: London, 1871.

CARVAL HO, J.S.F. O declínio do sentido público da educação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógico, Brasília, v.89, n.223, p.441-424, set./dez. 2008.

COLETIVO DE AUTORES . Metodologia do Ensino de Educação Física. SP: Cortez, Autores Associados. 1992.

DEWEY , J. Democracia e educação: introdução à filosofia
da educação. Trad. de Godofredo Rangel e Anísio Teixeira. 4. ed. São Paulo: Nacional, 1979.

DEWEY , J. Experiência e Educação. Tradução de Renata Gaspar. 2ª edição. Vozes: Petrópolis, 2011.

FERRAZ , O.L. Os profissionais de educação infantil: intervenção e pesquisa. Revista Paulista Educação Física. São Paulo, supl.4, p.95-109, 2001.

FERRAZ , O. L.; CO RREIA , W.R. Teorias curriculares, perspectivas teóricas em educação física escolar e implicações para a formação docente. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo, v. 26, p. 531-540, 2012.

FINLÂNDIA . Finnish National Board Of Education.Physical Activity and learning: statusreview. Finlândia, 2012. Disponível em <http://www.oph.fi/download/145366_Physical_activity_and_learning.pdf>. Acesso em: 29 nov. 2015.

FINLÂNDIA. Finnish schools on the move. Disponível em: <http://www.liikkuvakoulu.fi/in-english>. Acesso em: 29 nov. 2015.

GAMBI , F. A História da Pedagogia. Editora Unesp: São Paulo, 1999.

GOTTLIEB , G. Individual development & evolution: The genesis of novel behavior. Oxford: Oxford University Press, 1992.

IRLANDA DO NORTE. Active Schools Flag. Disponível em: <http://activeschoolflag.ie/>.Acesso em: 29 nov. 2015.

JAEGER, WERNER, W. Paidéia: A Formação do Homem
Grego. Editora Martins Fontes: São Paulo,
2001.

LOPES , A.C.; MACE DO, E. Teorias de Currículo.
São Paulo: Cortez, 2011.

MANOEL , E. de J. A abordagem desenvolvimentista da educação física escolar - 20 anos: uma visão pessoal. Revista da Educação Física. UEM Maringá, 19, 4, 473-488, 2008.

MOGOLLÓN, O; SOLA NO, M. Active Schools: our convictions for improving the quality of education, 2011. Disponível em: <http://www.epdc.org/sites/default/files/documents/Active_Schools.pdf>. Acesso em: 21 nov. 2015.

NAHAS , M.V.; CO RBI N, C.B. Aptidão Física e Saúde nos Programas de Educação Física: Desenvolvimentos Recentes e Tendências Internacionais. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, São Paulo, SP, v. 6, n.2, p.47-58, 1992.

NAHAS , M. V.; GARCIA , L. M.T. Um pouco de história, desenvolvimentos recentes e perspectivas para a pesquisa em atividade física e saúde no Brasil. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v.24, n.1, p.135-48, jan/mar. 2010.

NEIRA, M.G.; NUNES , M.L.F. Educação Física, Currículo e Cultura. São Paulo, Phorte, 2009

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚ DE. Constituição da Organização Mundial da Saúde, 1946. Disponível em: <http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/

OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o-Mundial-da-Sa%-C3%BA de/constituicao-da-organizacao-mundial-dasaude-omswho.html>. Acesso em: 08 jun. 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚ DE. Global recommendations on physical activity for health. Suíça, 2010.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚ DE. Promoting active living in and through schools: policy statement and guidelines for action. Dinamarca, 2000. Disponível em: <http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/67374/1/WHO_NMH_NPH_00.4.pdf>. Acesso em: 27 nov. 2015.

ROSSETTI-FERREIRA, M. et al. (2000). Rede de significações e o estudo do desenvolvimento humano. Porto Alegre: ArtMed.

SACRISTAN, J.G. Currículo e diversidade cultural. In: SILVA , T. T.; MOREI RA, A. F. (Orgs.) Territórios Contestados: O currículo e os mapas políticos e culturais. Petrópolis: Vozes, p.82-113, 2001.

SEE -SP. Proposta Curricular do Estado de São Paulo: Educação Física. Coord. Maria Inês Fini. São Paulo: Secretaria Estadual de Educação, 2008.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA , T. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias de currículo (3ª. Ed.). Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

TOMPOROWSKI , P.; LA MBO URNE, K & OK UMURA, M. S. Physical activity interventions and children’s mental function: An introduction and overview. Preventive Medicine, 52: S3-S9, 2011.

UNESCO . World-wide survey on School Physical Education. Final report 2013. Paris, 2014. 

VALSINER, J. Developmental psychology in the Soviet Union. Brighton: The Harvester Press, 1988.

VARELA , F. Ethical know-how: Action, wisdom, and cognition. Stanford: Stanford University Press, 1999.

YOUNG, M. Teoria de currículo: o que é e por que é importante. Caderno de Pesquisa, v.44, n.151, jan/mar, p.190-202, 2014.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.