Relação da Força de Membros Superiores e Nível de Atividade Física com a Prevalência de Lesão e o Desempenho de Participantes de Rodeio Competitivo

Por: João Paulo Bergamaschi, e .

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.14 - n.1 - 2006

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar a relação da força de membros superiores e - do nível de atividade física com a prevalência de lesão e o desempenho de participantes de rodeio competitivo. Duzentos e oito competidores participaram da 49ª Festa do Peão de Barretos em 2004, nas modalidades montaria em touros (n=165), que inclui rodeio júnior (n=45), rodeio universitário (n=15) e rodeio profissional (n=105), e montaria em cavalos (n=43). As médias finais da força de preensão manual dos membros dominante e não dominante dos peões foram de 54,5 kg e 50,4 kg, respectivamente. Os peões da modalidade profissional em touros apresentaram valores de força dos membros superiores dominante maiores que os da modalidade júnior em touros (p<0,05). Quanto ao nível de atividade física observamos que 34,8% dos peões foram classificados como ativos, 33,7% irregularmente ativos, e 31,5% sedentários. Foram registradas 25 lesões (12% dos peões) durante os 11 dias de competição, correspondendo a um lesionado a cada 30 montarias ou um lesionado a cada 2 minutos e 55 segundos de montarias. Não houve relação significativa entre força de membros superiores e nível de atividade física com a prevalência de lesão e o desempenho de participantes do rodeio de Barretos.

Endereço: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/678/683

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.