Relação da Resistência Aeróbia e Sintomas Depressivos em Mulheres no Climatério

Por: A. M. S. Stein, A. N. T. Teixeira, E. G. C. Carmo, G. F. J. Fuzaro, J. L. R. C. Costa, L. A. P. Porto, O. G. Huamaní, P. S. D. Donadelli, R. F. S. Santos-galduróz, R. V. P. Pedroso e T. M. V. Vital.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O climatério é uma etapa de alterações hormonais que pode afetar aos componentes da capacidade funcional nas mulheres na menopausa, como a resistência aeróbia. O câmbio biológico que acontece nesta faixa etária como a sarcopenia podem influenciar negativamente na capacidade funcional, como na locomoção, perda de resistência, força, flexibilidade e nos câmbios de humor. A depressão é um distúrbio afetivo onde há presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima devido às alterações hormonais que afetam as mulheres na menopausa. O objetivo deste trabalho é estimar a relação da resistência aeróbia e sintomas depressivos em mulheres no climatério residentes em Rio Claro-SP. Participaram do estudo 29 mulheres com media de idade (53.33 anos) com sintomas de menopausa cuja menstruação tenha cessado há pelo menos 1 ano. As voluntárias foram convidadas pela rádio, jornais, televisão e locais públicos e assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido. O componente da capacidade funcional de resistência aeróbia foi avaliado com o teste de caminhada de seis minutos (TC6), os sintomas da depressão avaliados com a Escala de Ansiedade e Depressão, Hospital Anxiety and Depression Scale (HAD) validada no Brasil, aplicado nas dependências do Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento da UNESP por um Profissional de Educação Física e por Profissional previamente treinado para aplicar o HAD respectivamente. Os resultados da média e desvio padrão de resistência aeróbia e os sintomas da depressão foram: (519,11±80,84 metros) e (12,79±6,13 pontos). A análise de regressão estatística (correlação linear e o gráfico de dispersão) para a variável no Eixo X (resistência aeróbia) denominada variável independente e a variável do Eixo Y (sintomas da depressão) denominada variável dependente (Y=b*X+a+Erro) mostrou uma tendência decrescente da reta de regressão, indicando que quando aumenta a distancia em metros os sintomas da depressão diminuem. Analiticamente podemos observar que a qualidade de ajuste da reta foi muito ruim R^2= 0.0534 (Escala de Likert: 0-0,2 Muito Ruim; 0,2- 0,4 Ruim; 0,4-0,6 Regular; 0,6-0,8 Bom; 0,8-1 Muito bom). A equação da reta de regressão estimada foi: y = -0,0174x+21,55 assim o Coeficiente Linear foi 21,55; como as unidades do gráfico são pontos, podemos concluir que a maior distancia recorrido o sintoma da depressão diminuem em pontos. Tendo em conta que esta associação de variáveis não implicam uma relação causal podemos afirmar que as mulheres que tem a condição de resistência aeróbia boa têm menores sintomas de depressão.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.