Relação da Variação Diária da Recuperação e Distância Percorrida na Corrida

Por: Danilo Rodrigues Batista, Felipe de Ornelas, Luccas Gubany Fernandes da Silva, Rodrigo Dantas de Campos, Sidnei José Anselmo, , Vlademir Meneghel e Willian Jorge Mendes.

VI Congresso Sudeste de Ciências do Esporte

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A recuperação é um aspecto importante para o processo de treinamento. Por outro lado, a fadiga diária dos atletas pode ser um fator limitante no desempenho físico. Em esportes como a corrida, a distância percorrida (DP) por microciclo pode caracterizar a carga aplicada na periodização. Neste caso, seria importante entender se o acúmulo desta DP poderia interferir no processo de recuperação, sobretudo em diferentes intensidades de treinamento, tais como a DP abaixo (<) ou acima (>) da velocidade máxima atingida em teste aeróbio (MAS). Objetivo: Relacionar a variação diária da recuperação e distância percorrida (DP) em microciclos para corrida. Metodologia: Durante 10 microciclos com 2 períodos de tapering (microciclo 2, 3, 9 e 10) para preparação de uma corrida de 5km, um atleta amador (21 anos, 59 kg, 183cm, MAS = 23,2 km/h, 7 sessões semanais, volume médio de 118780 metros por microciclo) foi monitorado durante 10 semanas. Diariamente, foi utilizado a escala de qualidade total de recuperação (QTR), realizada sempre ao acordar. Em seguida, foi calculado o coeficiente de variação percentual (CV%) dos valores da QTR das 7 sessões diárias durante os microciclos (QTR_CV%). A DP das sessões foi monitorada por sistema de GPS acoplado ao relógio Polar V800®. Os dados foram transferidos para o software Polar FlowSync®, sendo exportado para planilha do Microsoft Excel® para quantificação da DP. A DP em metros foi classificada como acima (DP>MAS) e abaixo do MAS (DP<MAS) durante o microciclo, assim como o total do microciclo (DPMICRO_TOTAL). Utilizou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov para verificar a normalidade dos dados. Para verificar relação entre CET e QTR utilizou-se a correlação linear de Pearson com p<0,05. Resultados: Foram encontradas os seguintes valores de correlação: DP>MAS vs QTRCV%  (r = -0,65; IC95% = -0,91 a -0,04; p = 0,03), DP<MAS vs QTRCV% (r = 0,06; IC95% = -0,59 a 0,66; p = 0,86), DPMICRO_TOTAL vs QTRCV%  (r = -0,04; IC95% = -0,65 a 0,60; p = 0,90). Considerações finais: Interessantemente, a variação diária da recuperação demonstrou relação apenas com a distância percorrida em intensidade acima do MAS.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.