Relação de Dor Osteomuscular e a Qualidade de Vida dos Militares do Batalhão do Corpo de Bombeiros de Araxá ? Mg

Por: Ana Paula Nassif Tondato da Trindade, Cléria Maria Lobo Bittar, Leonardo Contato Balieiro, Luiz Fernando Alves de Castro e Thais Cristina dos Reis Gomes.

Cinergis - v.17 - n.4 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Objeito: investigar as queixas de dores osteomusculares e a qualidade de vida nos bombeiros militares. Método: foi realizado um estudo quantitativo, descritivo e transversal, no batalhão do corpo de bombeiros de Araxá/MG, no período de maio a junho de 2015. Foram avaliados 30 militares, em que foi aplicado o questionário SF-36, que avalia a qualidade de vida, o questionário Nórdico que avalia os distúrbios osteomusculares e aspectos sóciodemográfico. Resultados: obtivemos a idade média de 32,97±7,98 anos; 86,7% são do gênero masculino, 47% são casados. O questionário Nórdico evidenciou que, tanto nos últimos doze meses, como nos últimos sete dias, a região em que os militares sentiram mais dores foi a lombar, com 60% e 26,7%. O questionário SF-36 demonstrou que o melhor domínio foi o estado geral de saúde (87,9%), e o pior domínio vitalidade, com 59,5%. Considerações finais: observamos uma prevalência de distúrbios na região lombar, tanto para alterações crônicas como agudas. Observamos também que os policiais apresentam uma boa percepção do estado geral de saúde, mas com pouca vitalidade.

Endereço: https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/8068

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.