Relação Entre a Atividade Física e o Comportamento Sedentário com o Desempenho Acadêmico em Escolares

Por: Maria Raquel de Oliveira Bueno.

2016 02/12/2016

Send to Kindle


Resumo

Dados emergentes tem indicado uma possível associação positiva entre a atividade física moderada a vigorosa (AFMV) e o desempenho acadêmico (DA) e uma associação negativa entre o comportamento sedentário (CS) e o DA em jovens. No entanto, verifica-se que as informações que a literatura apresenta ainda são inconsistentes. Além da AF e do CS, verifica-se que algumas variáveis como escolaridade dos pais, horas de sono, autoconceito, ambiente familiar e escolar também podem influenciar o DA de jovens. Contudo, essa área de pesquisa tem sido pouco investigada no Brasil. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo foi analisar as associações entre AFMV e CS com o DA em uma amostra de escolares de Londrina-PR. A amostra foi selecionada aleatoriamente de acordo com a proporcionalidade do número de escolares matriculados nos sextos anos do Ensino Fundamental II, nas cinco regiões da cidade de Londrina-PR (norte, sul, leste, oeste e centro). Após critérios de exclusão, foi obtido um tamanho amostral final de 307 escolares (146 rapazes [11,9±0,7anos] e 161 moças [11,8±0,6anos]). O DA foi obtido por meio das notas escolares de cinco disciplinas (português, matemática, ciências, história e geografia). Foram coletadas: (I) variáveis antropométricas (massa corporal, estatura e dobras cutâneas subescapular e tricipital) e posteriormente foi calculado o índice de massa corporal (IMC) e a gordura corporal relativa (GC); (II) Autoconceito (Inventário de Piers Harris II); (III) ambiente familiar (questionário); (IV) escolaridade dos pais (questionário); (V) AFMV, CS e padrão de CS (acelerometria); (VI) Tempo de tela (TT) e CS baseado em atividades acadêmicas (CSDA) (questionário); (VII) horas de sono (questionário) e (VIII) Variáveis do ambiente escolar (questionário). As análises foram estratificadas por sexo. O nível de significância adotado foi de P<0,05. Após controle para as variáveis: escolaridade dos pais, horas de sono, autoconceito, ambiente familiar e escolar, a AFMV foi inversamente associada ao DA (β: -0,016; P<0,05) apenas para o sexo feminino. O CS total não foi correlacionado com o DA, no entanto, com relação ao padrão do CS (PCS), bouts maiores foram inversamente associado ao DA tanto para o sexo masculino (β:-0,228, P<0,05), quanto para o feminino (β:-0,181, P<0,05). Conclui-se que a AFMV foi inversamente associada ao DA para o sexo feminino e que o CS total não foi associado ao DA, porém, o PCS foi associado, sendo que bouts maiores foram inversamente associados ao DA.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000210885

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.