Relação Entre Aptidão Física, Estilo de Vida, Imagem Corporal e Saúde em Adolescentes

Por: Flávia Évelin Bandeira Lima.

137 páginas. 2018 26/04/2018

Send to Kindle


Resumo

Atualmente um fator que aponta as mudanças no estilo de vida é o crescimento na prevalência de excesso de peso, no Brasil, pois foi superior a 200% nas últimas três décadas. Dessa forma, algumas pesquisas no Brasil investigam a aptidão física, estilo de vida e saúde separadamente, algumas vezes, apenas verificando a relação entre um ou dois fatores em adolescentes. O objetivo desta pesquisa foi analisar a associação entre o sobrepeso/obesidade e imagem corporal com possíveis comportamentos de risco relacionados ao estilo de vida em adolescentes de 12 a 15 anos. A população da presente pesquisa foi composta por 1.161 adolescentes, regularmente matriculados em escolas públicas. Foram coletados dados de aptidão física, sociodemográficos, antropométricos, nível de atividade física, nível de imagem corporal e estilo de vida. Os dados coletados foram tratados pelo Statistical Package for the Social Science, 24.0. Para a análise das variáveis numéricas utilizou-se estatística descritiva, para diferenças entre os sexos, U de Mann-Whitney (mediana), para normalidade Kolmogorov-Smirnov. As variáveis categóricas foram analisadas mediante tabelas cruzadas, qui-quadrado (X2 ), V de Cramer e Phi, para identificação de diferenças estatísticas entre os grupos. Estimativas de Odds Ratio, com intervalo de confiança de 95%, foram realizadas para analisar as associações entre as variáveis. A Razão de Prevalência com intervalo de confiança de 95%, usando a regressão de Poisson, foi aplicada para quantificar a associação bruta e ajustada entre o desfecho e as variáveis independentes, recomendada para desfechos de elevada prevalência. A maioria do sexo feminino (56,8%). Os meninos possuem massa corporal, estatura maiores, menor prevalência de excesso de peso, melhor aptidão física na maioria dos medidores, melhor nível de atividade física. As meninas apresentam maior distorção de imagem corporal, porém, apresentam melhor nível de flexibilidade e menor obesidade abdominal. Identificou-se, de modo geral, que os adolescentes apresentam pelo menos dois fatores ruins para aptidão física. Entre os fatores de comportamento sedentário, as meninas assistem mais televisão, enquanto, os meninos jogam mais videogame e computador. Em relação aos hábitos alimentares ambos os sexos e grupos etários apresentam prevalências altas de consumo alimentar inadequados. Identificou-se associação entre grande parte dos medidores. Podendo observar uma forte associação entre a aptidão física a adiposidade corporal, a imagem corporal e o estilo de vida. Muitas vezes essa associação acontece com duas ou mais variáveis, o que indica que um fator pode interferir e/ou ocasionar índices ruins no outro fator. Houve correlação entre os indicadores sendo elas positivas ou negativas. A correlação mais forte foi entre a adiposidade corporal, inatividade física com a aptidão física. Os hábitos alimentares se correlacionaram com a adiposidade corporal e abdominal, com o sono e o consumo de tabaco e álcool.

Endereço: https://www.unimep.br/phpg/bibdig/aluno/visualiza.php?cod=1798

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.