Relação Entre Comportamentos de Risco Para Transtornos Alimentares e Processo Maturacional em Jovens Atletas

Por: Leonardo de Sousa Fortes, Maria Aparecida Conti e Maria Elisa Caputo Ferreira.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.17 - n.5 - 2012

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi analisar a relação entre comportamento de risco para transtornos alimentares (TA) e processo maturacional, segundo o sexo. Participaram 580 atletas, de ambos os sexos, com idade entre 10 e 19 anos. TA foi avaliado pelo Eating Attitudes Test (EAT-26). Aplicou-se o Body Shape Questionnaire (BSQ) para avaliar a insatisfação corporal. Aferiu-se a altura tronco-cefálica, a estatura e o peso para estimar a idade de maturação somática. A maturação sexual foi avaliada pelos Critérios de “Tanner”. Os resultados indicaram prevalência de 18,1 e 14,7% de comportamento para TA em meninas e meninos, respectivamente. Não houve diferenças dos escores do EAT-26 em função dos estágios maturacionais, mas houve associação deste escore com os estágios maturacionais no sexo masculino (p<0,05). Por fim, a interação entre maturação somática e sexual influenciou significantemente a pontuação do EAT-26 tanto no sexo feminino, quanto no masculino (p<0,05).

Endereço: http://www.sbafs.org.br/_artigos/566.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.