Relação Entre Estado Nutricional, Adiposidade Corporal, Percepção de Autoimagem Corporal e Risco Para Transtornos Alimentares em Atletas de Modalidades Coletivas do Gênero Feminino

Por: Ana Claudia Pelissari Kravchychyn, Danilo Fernandes da Silva e Fabiana Andrade Machado.

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte - v.27 - n.3 - 2013

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi analisar se há associação entre a autoimagem corporal, risco para transtornos alimentares, adiposidade corporal e estado nutricional em atletas de modalidades coletivas do gênero feminino. Participaram 45 atletas das modalidades de basquetebol, voleibol, handebol e futsal. Foram aferidas massa corporal, estatura e dobras cutâneas para a determinação do Índice de Massa Corporal (IMC) e percentual de gordura corporal (%G). Os questionários aplicados foram o Body Shape Questionnarie (BSQ) e o Eating Atittudes Test (EAT-26). A análise de associação foi feita pelo teste Qui-quadrado 2×2 e Exato de Fisher (p < 0,05). A média do IMC e %G foram de 22,82 ± 2,73 kg•m-2 e 23,42 ± 5,10%, respectivamente. O BSQ se associou com o IMC (p = 0,001) e com o %G (p = 0,008), já EAT-26 não se associou com as variáveis antropométricas. Conclui-se que atletas em sobrepeso e obesidade possuem maior tendência a distorção da autoimagem corporal, porém não tem propensão para desenvolver transtornos alimentares.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1807-55092013000300012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.