Relação Entre Incontinência Urinária em Mulheres Atletas Corredoras de Longa Distância e Distúrbio Alimentar

Por: Eliana V Monteiro Zucchi, Emerson de Oliveira, Maíta Poli de Araújo, Manoel João Batista Castello Girão, Marair Gracio Ferreira Sartori e Virginia Fernandes Moça Trevisani.

Revista da Associação Médica Brasileira - v.54 - n.2 - 2008

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO. Avaliar a ocorrência de incontinência urinária (IU) em atletas corredoras de longa distância e associá-la a presença ou não de distúrbios alimentares. MÉTODOS. Um total de 37 corredoras de longa distância completaram os questionários ¨International Consultation on Incontinence Q uestionnaire-Short Form¨ (ICIQ -SF) e o ¨Eating Attitudes Test¨ (EAT-26). O teste do absorvente de uma hora fo i realizado para quantificar a perda de urina. A análise estatística das variáveis contínuas foi feita pelo teste t pareado, ou teste de Mann-Whitney. RESULTADOS. 23 atletas (62,2%) tinham queixa de perda de urina. A média dos escores do ICIQ -SF neste grupo foi de 4,03 ± 5,06. Houve diferença estatisticamente significante entre o valor do teste do absorvente (p=0,02) e o resultado do questionário EAT-26 (p=0,03) no grupo de atletas incontinentes. CONCLUSÃO - Encontramos IU em atletas corredoras de longa distância e houve correlação com distúrbios alimentar. Técnicos devem estar atentos para a ocorrência de eventuais distúrbios e encaminhar tais atletas para uma equipe multidisciplinar.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0104-42302008000200018&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.