Relação Entre Indicadores de Desempenho Motor e Maturação Biológica em Jogadores de Futebol Menores de 16 Anos

Por: Cesar Oswaldo Vásconez Rubio, Mélida Janneth Colcha Paullán, Richar Jacobo Posso Pacheco e Richard Manuel Manangón Pesantez.

Lecturas: Educación Física y Deportes - v.25 - n.269 - 2020

Send to Kindle


Resumo

O objetivo principal deste estudo foi estabelecer as relações existentes entre o desempenho motor e a maturação biológica de jogadores de futebol da categoria Sub 16 da equipe El Nacional do Equador. Faz parte da abordagem quantitativa apoiada por uma pesquisa descritiva de campo correlacional, a amostra utilizada para este trabalho de pesquisa foi de 25 jogadores que estão em competição no Campeonato Equatoriano de Futebol Sub 16. Para este estudo, os jogadores foram avaliados com o teste de velocidade anaeróbica baseado em corrida (RAST) e o teste físico aeróbio Yo-Yo Endurance Nível 1; além disso, ter feito medidas antropométricas. Conclui-se que para as variáveis ​​estudadas, idade, peso, altura e Altura do Tronco da Cefálico (ATC), não há diferença significativa em relação ao Pico de Velocidade de Crescimento (PVC). Infere-se que essas diferenças provavelmente se devem ao aumento da idade, à passagem da fase da adolescência para a juventude e ao tempo de vivência em que foram submetidos a regimes de treinamento sistemáticos. Da mesma forma, conclui-se que existe uma correlação inversa e uma correlação direta entre os testes físicos de PVC. Por outro lado, apenas as variáveis ​​de Potência Máxima (r = 0,466 e p=*0,019) e Média (r=0,512 e p=** 0,009) do Teste RAST apresentam correlação significativa com o pico da velocidade de crescimento.

Referências

Al-Hazzaa, H.M., Sulaiman, M.A., Dafterdar, M.Y., & Al-Ghamedi, A. (2001). Aerobic and anaerobic power characteristics of Saudi elite soccer players. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness, 41, 54-61. Recuperado de: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11317148/

Arnaiz, P., Grob, F., Cavada, G., Domínguez, A., Bancalari, R., Cerda, V. et al. (2014). La razón cintura estatura en escolares no varía con el género, la edad ni la maduración puberal. Revista médica de Chile, 142(5), 574-578. Recuperado de: https://dx.doi.org/10.4067/S0034-98872014000500004.

Aróstegui, B., Goñi, A., Zubillaga, A., & Infante, G. (2013). El autoconcepto físico de jóvenes futbolistas de alto rendimiento. Cuadernos de Psicología del Deporte, 13(1), 9-14. Recuperado de: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4593912

Asadi, A., Ramirez-Campillo, R., Arazi, H., & Sáez de Villarreal, E. (2018). The effects of maturation on jumping ability and sprint adaptations to plyometric training in youth soccer players. Journal of Sports Sciences, 36(21), 2405-2411. Recuperado de: https://doi.org/10.1080/02640414.2018.1459151

Braz, T., & De Arruda, M. (2008). Diagnóstico do desempenho motor em crianças e adolescentes praticantes de futebol. Revista Movimento & Percepção, 9(13), 7-30. Recuperado de: https://www.researchgate.net/publication/26576519

Campeiz, J.M., & Oliveira, P. (2006). Análise comparativa de variáveis antropométricas e anaeróbias de futebolistas profissionais, juniores e juvenis. Revista Movimento & Percepção, 6(8), 58-84. Recuperado de: https://doi.org/10.20396/conex.v2i1.8637907

Campeiz, J.M., Oliveira, P., & Maia, G.B.M. (2004). Análise das variáveis aeróbias e antropométricas de futebolistas profissionais, juniores e juvenis. Revista Conexões, 2(1), 1-9. Recuperado de: https://doi.org/10.20396/conex.v2i1.8637907

Curilem, C., Almagià, A., Rodríguez, F., Yuing, T., Berral, F., Martínez, C. et al. (2016). Evaluación de la composición corporal en niños y adolescentes: directrices y recomendaciones. Nutrición Hospitalaria, 33(3), 734-738. Recuperado de: https://dx.doi.org/10.20960/nh.285.

Deprez, D., Coutts, A., Fransen, J., Deconinck, F., Lenoi, M., Vaeyens, R., & Philipaerts, R. (2013). Relative age, biological maturation and anaerobic characteristics in Elite Youth Soccer Players. International Journal of Sports Medicine, 34(10), 897-903. Recuperado de: http://doi.org/10.1055/s-0032-1333262

Franz, J., Souza, W., Lima, V., Grzelczak, M., & Mascarenhas, L. (2017). Influencia do treinamento resistido na composição corporal, flexibilidade, capacidade aeróbica e no desenvolvimento de forca de adolescentes em diferentes estágios maturacionais. Ciência e Movimento, 25(3), 25-33. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v25i3.6852

Keir, Daniel A., Thériault, Francis, & Serresse, Olivier (2013). Evaluation of the Running-Based Anaerobic Sprint Test as a Measure of Repeated Sprint Ability in Collegiate-Level Soccer Players. Journal of Strength and Conditioning Research, 27(6), 1671-1678. Recuperado de: http://doi.org/10.1519/JSC.0b013e31827367ba

McMillan, K., Helgerud, J., Macdonald, R., & Hoff, J. (2005). Physiological adaptations to soccer specific endurance training in professional youth soccer players. Br J Sports Med, 39, 273-77. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1136/bjsm.2004.012526

Matta, M., Figueiredo, A., García, E., & Seabra, A. (2013). Crescimento, maturação biológica e aptidão física e técnica de jovens futebolistas: uma revisão. Revista Brasileira de Futebol, 6(1), 85-99. Recuperado de: https://rbf.ufv.br/index.php/RBFutebol/article/view/119

Oliveira Junior, A.V., Casimiro, G., Donangelo, C.M., & Koury, J.C. (2017). Biological Maturation Assessment Methods in Adolescent Soccer Players Considering Zinc Status. International Journal of Morphology, 35(4), 1607-1613. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.4067/S0717-95022017000401607

Pérez, B. (2014). Perfil de aptitud física en población escolar de Biruaca. San Fernando de Apure, Venezuela. Archivos Venezolanos de Puericultura y Pediatría, 77(3),120-127. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=3679/367937052004

Posso Pacheco, R., Otáñez Enríquez, L., Guerrero González, E., Betancourt Mejía, R., Noroña Casa, L., & Manangón Pesantez, R. (2020). Variables Somatotípicas de Nadadores y Voleibolistas con Proyección al Alto Rendimiento Deportivo. Revista de Entrenamiento Deportivo, 34(1), 1-11. Disponible en: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7403422

Ré, A. (2011). Crescimento, maturação e desenvolvimento na infância e adolescência: Implicações para o esporte. Motricidade, 7(3), 55-67. Recuperado de: https://www.researchgate.net/publication/262594122

Rienzi, E., Drust, B., Reilly, T., Carter, J.E., & Martin A. (2001). Investigation of anthropometric and work-rate profiles of elite South American International soccer players. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness, 40(2), 162-9. Recuperado de: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11034438/

Verdugo, F. (2015). Biological maturation process and athletic performance. Revista chilena de pediatría, 86(6), 383-385. https://dx.doi.org/10.1016/j.rchipe.2015.10.003

Villar, R., & Zühl, C. (2006). Efeitos da idade cronológica e da maturação biológica sobre a aptidão física em praticantes de futebol de 13 a 17 anos. Motricidade, 2(2), 69-79. Recuperado de: https://www.redalyc.org/pdf/2730/273020436002.pdf

Weineck, J. (2017). Fútbol total II: El entrenamiento físico del deportista. Barcelona: Paidotribo.

Endereço: https://www.efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/view/1859

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.