Relação Entre Prática de Caminhada no Lazer, Excesso de Peso e Obesidade Abdominal Entre Pacientes de Unidades Básicas de Saúde, Segundo Sexo

Por: A. P. R. Rocha, C. A. S. Silva, J. S. Codogno, L. C. Morais e R. A. Fernandes.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A prática de atividade física no lazer tem recebido destaque por estar associada à modificação de parâmetros fisiológicos relacionados à prevenção de agravos à saúde. Em contrapartida, mais do que a obesidade geral, a obesidade abdominal tem demonstrado ser um fator determinante para o desenvolvimento de doenças metabólicas e cardiovasculares, em homens e mulheres. Porém, não está claro na literatura se a relação entre prática de atividades físicas e adiposidade corporal ocorre de maneira/intensidade similar em ambos os sexos. O objetivo do estudo foi analisar se existe relação entre prática de caminhada no lazer e valores de índice de massa corporal (IMC) e circunferência de cintura (CC), segundo sexo. Participaram do estudo 541 indivíduos, com faixa etária igual ou maior que 50 anos, de ambos os sexos, todos atendidos por duas Unidades Básicas de Saúde de Presidente Prudente (região oeste do Estado de São Paulo: 200.000 habitantes). A prática de caminhada no lazer foi avaliada utilizando o questionário desenvolvido por Baecke et al.(1982), no qual considerou-se o envolvimento nesta prática por meio de uma escala Likert. . O IMC (em kg/m²) foi calculado com a utilização dos valores de massa corporal e estatura; a obesidade abdominal foi avaliada utilizando a medida de CC, todas as medidas coletadas por avaliadores treinados no momento da entrevista. A análise estatística foi composta pelo teste de correlação de Pearson e seus respectivos intervalos de confiança de 95% (Software BioEstat 5.0). Entre mulheres (n= 381), a prática de caminhada foi relacionada a menores valores de CC (r= -0.124 [IC95%: - 0.222 a -0.023]) e IMC (r= -0.122 [IC95%: -0.220 a -0.022]). Entretanto, entre os homens (n= 160) a prática de caminhada no lazer não foi relacionada com menores valores de CC (r= 0.086 [IC95%: -0.070; -0.238]) e IMC (r= -0.009 [IC95%: - 0.164; +0.146]). Em conclusão, a prática de caminhada no lazer foi relacionada a menores valores de IMC e CC em mulheres, porém, está relação parece ser dependente do sexo.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.