Relação Entre Prática de Ciclismo no Lazer e Pressão Arterial em Repouso: Comparação Entre Homens e Mulheres

Por: A. C. A. C. Trindade, C. P. S. Palomo, J. A. Silva, J. S. Andrade, J. S. Codogno, L. A. Gobbo e R. A. Fernandes.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A hipertensão arterial sistêmica é altamente prevalente no Brasil e sendo considerada como importante fator de risco para demais doenças cardiovasculares. A hipertensão arterial sistêmica é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial. A prática de atividade física representa importante fator de prevenção em relação à hipertensão arterial sistêmica e elemento chave na promoção da qualidade de vida, sendo as atividades aeróbias muito indicadas. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi analisar a possível relação entre prática de ciclismo no lazer e valores de pressão arterial em repouso entre pacientes atendidos em Unidades Básicas de Saúde, segundo o sexo. A amostra foi composta por 541 adultos de ambos os sexos com idade igual ou superior à 50 anos, atendidos por duas Unidades Básicas de Saúde da cidade de Presidente Prudente - SP, indicadas pela Secretaria de Saúde do Munícipio, de acordo com critérios de localização e número de pacientes atendidos. A prática de ciclismo foi averiguada através do questionário de Baecke, Burema e Frijters (1982), validado nacionalmente para adultos por florindo e Latorre (2003). Os valores de pressão arterial diastólica (PAD) e sistólica (PAS) em repouso foram obtidos através aferição seguindo recomendações da VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. A análise estatística foi composta pelo teste de correlação de Pearson e seus respectivos intervalos de confiança de 95% (Software BioEstat 5.0). Entre homens a prática de ciclismo no lazer foi relacionada com menores valores de PAS (r= -0.160 [IC95%: - 0.309; -0.003]), mas não de PAD (r= -0.057 [IC95%: -0.212; +0.101]). Da mesma forma, entre mulheres (n= 372), a prática de ciclismo foi relacionada à PAS (r= -0.126 [IC95%: -0.225 a -0.025]), mas não a PAD (r= -0.055 [IC95%: -0.156 a +0.047]). Conclui-se que a prática de ciclismo no lazer está associado com menores valores de PAS, entretanto não se relacionou a menores valores de PAD em ambos os sexos

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.