Relativização da Normatização na Perspectiva da Aptidão Física

Por: , Lisiane Torres e Marcelo Silva.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

A compreensão do pressuposto estatístico torna-se necessários, predominantemente, para as pesquisas de cunho quantitativo. Para isto é importante o pesquisador ter clareza da indicação de cada teste estatístico para o estudo proposto a fim de garantir uma adequada interpretação dos resultados. Neste trabalho, estudou-se um teste de flexibilidade (sentar e alcançar) relacionado à saúde. Sendo assim, os objetivos deste estudo foram: 1) descrever o perfil do teste de flexibilidade em escolares; 2) realizar a exploração dos resultados para identificar a possível presença de casos extremos severos (outliers) nos dois sexos e 3) comparar os resultados para identificar se houve diferenças estatísticas com a possível presença de outliers ao longo das idades. A amostra foi constituída de 1.440 estudantes dos dois sexos (708 meninos e 732 meninas) com idades entre 7 e 14 anos. Para a análise dos dados, utilizou-se a estatística descritiva visando averiguar as características de desempenho (tendência central e dispersão) e ANOVA, com tratamento Post-Hoc.. Para a análise da normalidade, foi utilizada a técnica de Box plot para a identificação da possível presença de casos extremos além da característica das distribuições através da simetria (skewness) e do achatamento (kurtosis). Pelo teste de aderência de Kolmogorov-Smirnov (K-S), com a correção da normalidade de Lilliefors, foi testada a normalidade dos dados. Para todas as análises foi adotado o nível de significância de 5%. Os dados foram tratados a partir do programa SPSS 10.0. Os resultados não evidenciaram a presença de casos extremos. Observou-se que o comportamento da distribuição apresentou uma normalidade em todas as idades e sexo, com exceção aos 13 anos (p < 0,05). No teste de flexibilidade em relação à idade, o resultado da ANOVA não foi significativo para os meninos - F (7, 700) = 0,81; p = 0,578 -, entretanto, para as meninas - F (7, 722) = 2,59; p = 0,012 - , o resultado foi significativo. A força da relação entre a variável analisada e a mudança ao longo das idades, avaliadas pelo h² , tem média relação para os meninos e fraca relação para as meninas, com o teste de flexibilidade (correspondendo a 8% da variância para os meninos e 2% para as meninas). Enfim, o teste de sentar e alcançar parece-nos pouco capaz de apontar casos extremos na população estudada, bem como, ao analisarmos o comportamento dos meninos e meninas, observa-se oscilações tendendo à diminuição da performance ao longo das...

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.