Repensando as Relações de Gênero nas Vivências do Ultimate Frisbee na Escola

Por: Ana Aparecida Tavares da Silveira e .

Motrivivência - v.31 - n.58 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Este artigo traz reflexões de como as relações de gênero foram vivenciadas, problematizadas e modificadas na realização do projeto "Ultimate Frisbee: vivências e reflexões táticas utilizando recursos midiáticos nas aulas de educação física”. A discussão de gênero surgiu durante as aulas, em virtude deste esporte ser composto oficialmente pela categoria mista, em que meninos e meninas jogaram juntos, gerando conflitos que precisaram ser discutidos e repensados. Para tanto, foram buscados fundamentos nos Estudos Feministas e de Gênero na tentativa de compreender as problemáticas que emergiram com a realização das aulas práticas.

Referências

ADELMAN, Miriam. Mulheres atletas: re-significações da corporalidade feminina. Trabalho apresentado na XXIII Reunião Anual da ANPOCS, em Caxambu, MG, em outubro de 1999.

BRASIL. Lei de Diretrizes e B. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, v. 11, 2015. A

______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2017.

______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: educação física / secretaria de educação fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997. 96p.

BORGES, R.M.; OLIVEIRA, J. D. B.; SANTOS, A.; FARIAS, S.R.R. Ultimate Frisbee. In: GONZÁLEZ, F. J.; DARIDO, S. C.; OLIVEIRA, A. A. B. (Orgs.) . Práticas Corporais e a organização do conhecimento: esportes de invasão: basquetebol, futebol, futsal, handebol, ultimate frisbee. Maringá: Eduem, 2014. 326p.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand, 1999.

CONNEL, Robert. Políticas da masculinidade. Educação e realidade, 20(2), jul/dez. 1995, 185-206.

DORNELLES, Priscila Gomes; FRAGA, Alex Branco. Aula mista versus aula separada? uma questão de gênero recorrente na educação física escolar. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física – ISSN 2175-8093 – Vol. 1, n. 1, p.141-156, Ago., 2009.

FEDERAÇÃO PAULISTA DE DISCO. Cartilha Explicativa - Ultimate Frisbee. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017.

FRASER, Nancy. O feminismo, o capitalismo e a astúcia da História. Mediações, vol. 14, número 3, 2009, p.11-32.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulher e esporte no Brasil: entre incentivos e interdições elas fazem história. Pensar a Prática Vol.8 N.1, jan/jun, 2005.

GOELLNER, Silvana V.; FRAGA, Alex B. O espetáculo do corpo: mulheres e exercitação física no início do século XX. In: CARVALHO, Marie J. S.; ROCHA, Cristianne, M. F. Produzindo Gênero. Porto Alegre: Sulina, 2004, p.161-171.

GROSSI, M. Masculinidades: uma revisão teórica. Antropologia em primeira mão. UFSC, 2004. Disponível em: . Acesso em: 14 Jun. 2017

HARAWAY, Donna. Gênero para um dicionário marxista: a política sexual de uma palavra. Cadernos. Cadernos Pagu. (22) 2004, p.201-246.

MAUSS, M. As técnicas do corpo. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

PISCITELLI, A. Gênero em Perspectiva. Cadernos Pagu (11) 1998. p.141-155.

 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/55894

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.