Representação Midiática do Atleta com Deficiência na Mídia Brasileira e Portuguesa - do Coitadinho a Super-herói

Por: Tatiane Hilgemberg Figueiredo.

XXXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - Intercom

Send to Kindle


Resumo

Desde os seus primórdios a sociedade tendeu a marginalizar e inabilitar as pessoas com deficiência apondo-lhes o estigma da diferença. Mesmo na atualidade, e apesar de vivermos numa sociedade dita inclusiva, o preconceito para com a pessoa/atleta com deficiência é ainda prevalecente. Todo o indivíduo que foge aos padrões de normalidade é considerado estigmatizado. O objetivo deste artigo é analisar o tratamento midiático devotado aos atletas paralímpicos na mídia Brasileira e Portuguesa nos Jogos Paralímpicos de Pequim-08. Pela nossa análise pudemos, sumariamente, concluir que a cobertura midiática dos Jogos Paralímpicos no Brasil e em Portugal tem mais similaridades do que diferenças. Além disso, percebemos que ambos os estereótipos, o coitadinho e super-herói foram utilizados.

Endereço: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2013/index.htm

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.