Representações em Jogo no Fenômeno Sociocultural da Copa do Mundo da Fifa 2014 na Cidade de Curitiba / Paraná

Por: Izac de Oliveira Belino Bonfim.

336 páginas. 2017 29/03/2017

Send to Kindle


Resumo

A presente tese teve como estudo a análise da construção das representações sociais e espaciais dos agentes sociais (dominantes e dominados) na cidade-sede Curitiba-Paraná da Copa do Mundo de Futebol da FIFA 2014. Para identificar as representações sociais e espaciais partiu-se da hipótese de que o espaço geográfico é ocupado e produzido pelos agentes sociais. É um espaço social, onde emanam representações sociais distintas e subjetivas a respeito de um objeto ou fenômeno. Através das interações sociais entre os agentes sociais (dominantes/ dominados) em um campo filosófico esportivo prenunciam-se diálogos e se reproduzem enunciados, que são signos com carga ideológica definida, pois estes sujeitos (agentes sociais) sempre buscam defender, submergir, conquistar ou manter determinada dominação. Com a finalidade de produção e (re) produção de um espaço do esporte, os agentes sociais dominantes durante todo o processo histórico linear da Copa do Mundo discorreram discursos que tratavam da importância e dos benefícios oriundos da realização do megaevento esportivo no Brasil, estes compreendidos como legados econômicos, sociais e culturais. A construção dos discursos foi identificada no contexto de um território do futebol brasileiro, onde sociologicamente existe um campo esportivo de forças contraditórias de agentes sociais em diferentes posições. Este é um campo esportivo delineado nos apontamentos filosóficos da teoria dos campos de Bourdieu (2003). Para se compreender a análise sistemática dos discursos proferidos no território, o estudo subentendeu a trajetória de uma Geografia do Esporte nas três escolas epistemológicas da Geografia pós anos cinquenta. Entre elas a Geografia Teorética Quantitativa, Crítica Marxista e Geografia Humanista, com o objetivo de se identificar as peculiaridades e os impactos da criação de um espaço do esporte dentro de um contexto de um espaço social. O debate propõe se a pensar um espaço do esporte dialético, onde agentes sociais posicionaram-se com estratégias e jogadas que visavam defender os seus próprios interesses no jogo. A partir dos discursos em jogo, observou-se o delineamento e a construção das representações sociais e espaciais. Estas foram identificadas no processo de dominação que ocorreu entre agentes sociais que durante toda a construção do megaevento esportivo. A Copa do Mundo de Futebol da FIFA ocorreu no âmbito de um território pré-existente do futebol brasileiro, onde as tensões e conflitos aconteceram em doze cidades-sede. Nestes territórios e na cidade-sede Curitiba analisou-se os discursos ideológicos por meio da Análise do Discurso (AD) com o objetivo geral de se identificar as representações que foram construídas. O presente estudo também identificou os fatos que ocasionaram as tensões e conflitos sociais no território; a transformação e produção do espaço do esporte; e conclui com a identificação de um processo de dominação ideológica e que ocasionou a construção das representações sociais e espaciais dos agentes sociais dominantes e dominados. As representações foram identificadas por meio do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) pós-megaevento Copa do Mundo de Futebol da FIFA 2014 na cidade-sede de Curitiba-Paraná. Palavras-chave: Copa do Mundo. Megaevento Esportivo. Representações. Curitiba.

Endereço: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFPR_006eeb0d6fe051507bcd9702e13c0389

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.