Reprodutibilidade de Protótipo Criado Para Avaliar a Cinética da Braçada da Natação em Ambiente Terrestre

Por: D. F. Nogueira, M. M. Gomes, M. Papoti, M. V. Villata, P. R. P. Santiago, R. B. Gobbi e Y. A. de Almeida.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Acompanhando a evolução técnica da natação, é crescente a busca por avaliações que indiquem o comportamento cinético da braçada durante o nado. Neste sentido o objetivo do presente estudo foi criar um protótipo de baixo custo, capaz de mensurar as variáveis cinéticas da braçada em ambiente terrestre e testar sua reprodutibilidade. Para isso foi desenvolvido um protótipo de banco de natação "swim bench", que consiste em um banco horizontal acolchoado e dois palmares fixados por mangueiras de látex a células de carga presas a duas barras de ferro. Oito nadadores de Ribeirão Preto, sendo cinco meninos e três meninas com idade média de 16,5 ± 4,69 anos, e praticantes de natação em media há 4,6 ± 4,34 anos, participaram do estudo. Para a realização dos testes, os nadadores foram orientados a se posicionarem em decúbito ventral sobre o "swim bench" com cada uma das mãos segurando um palmar, e após o comando do avaliador realizavam movimentos de flexão e extensão dos ombros e cotovelos durante 60 segundos, simulando a fase propulsiva do nado crawl, porém, com os membros direito e esquerdo movimentando simultaneamente na mesma direção. Cada nadador realizou o teste duas vezes, com intervalo de 48 horas entre eles, a fim de verificar a reprodutibilidade das medidas obtidas com o "swim bench". Os dados de cada célula de carga (direita e esquerda) foram amostrados em 1000hz, e através de rotinas criadas em ambiente MATLAB (Math Works, Natick, MA) foram calculadas as variáveis cinéticas: força média, força pico, impulso e índice de fadiga. Para verificar a reprodutibilidade do protótipo, foi realizado o teste de correlação de Pearson comparando os valores de cada variável obtidos no teste e reteste. Os valores de força média, força pico, impulso e índice de fadiga da braçada direita do primeiro dia foram, respectivamente, 30,68 ± 2,94 N; 53,88 ± 2,29 N; 1910,95 ± 143,52 N/s e 45,42 ± 3,63% e no reteste 30,31 ± 2,32 N; 54,18 ± 3,19 N; 1867,04 ± 132,87 N/s e 46,83 ± 4,69%. Para a braçada esquerda os resultados do primeiro dia de teste foram: 29,65 ±2,72 N; 53,13 ± 2,13 N; 1847,33 ± 133,22 N/s; 46,47 ±3,85%, e no reteste: 29,82 ± 2,38 N; 54,19 ± 2,23 N; 1836,98 ± 137,16 N/s; 47,74 ± 4,61%. Os testes de Correlação de Pearson apontaram correlação significativa (p<0,05) para as variáveis: força média (r = 0,91), força pico (r = 0,74), impulso (r = 0,81) e fadiga (r = 0,75). Estes resultados revelam correlação "muito alta" para força média e "alta" para força pico, impulso e índice de fadiga e, portanto, indicam que o protótipo "swim bench", proposto neste estudo é funcional e apresenta boa reprodutibilidade para mensurar os parâmetros cinéticos da braçada da natação.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.