Resfriamento da Cabeça Melhora o Desempenho Físico

Por: Diogo Antônio Soares Pacheco, , Lucas Leite Lima, e Renata Lane de Freitas Passos.

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Objetivo:
Verificar o efeito do resfriamento da cabeça no desempenho físico durante corrida intermitente de intensidade autorregulada realizada sob o sol.

Métodos e resultados:
Participaram do estudo 10 voluntários do sexo masculino, saudáveis e fisicamente ativos (idade 24 ± 2 anos, VO2max 47,0 ± 3,9 ml.kg-1.min-1, massa corporal 76,3 ± 6,4 kg, estatura 180,6 ± 5,7 cm, área de superfície corporal 1,96 ± 0,08 m2, somatório de dobras cutâneas 107 ± 46,2 mm). Os voluntários correram 6 km em quatro etapas de1,5 km com pausas de 3 minutos - na maior velocidade possível - com resfriamento da cabeça ("CRC") ou sem resfriamento da cabeça (grupo controle -"CON"). O resfriamento da cabeça aumentou a velocidade média de corrida em 5,2% sem alterar o índice de estresse fisiológico(CON = 5,7 ± 1,4; CRC = 5,7 ± 1,3, p>0,05) e a percepção subjetiva do esforço.

Conclusão:
O resfriamento da cabeça foi capaz de melhorar o desempenho físico durante corrida intermitente de intensidade autorregulada realizada sob o sol.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.