Respostas Agudas do Exercício Resistido Sobre Variáveis Metabólicas, Cardiovasculares e Autonômicas em Adolescentes Eutróficos e com Sobrepeso

Por: João Marcelo de Queiroz Miranda.

2009 27/04/2009

Send to Kindle


Resumo

A obesidade é hoje considerada uma doença e tem se tornado um grande problema de saúde pública, atingindo altas taxas de prevalência em crianças e adolescentes. O exercício físico vem se tornando grande aliado na prevenção e tratamento da obesidade, sendo que o exercício resistido tem sido freqüentemente utilizado. Desta forma, o objetivo deste estudo foi avaliar as respostas agudas metabólicas, hemodinâmicas e autonômicas induzidas por uma sessão de exercício físico resistido em adolescentes com sobrepeso. Foram avaliados 17 indivíduos do sexo masculino com idade entre 14 a 18 anos. A amostra foi dividida em grupo controle (GC, n=9) e grupo sobrepeso (GSO, n=7). Os participantes foram submetidos a uma sessão de trinta minutos de exercícios resistidos para diferentes grupos musculares, realizados com sobrecarga de 60% da força máxima (obtida através do teste de 1RM), com um intervalo de 45 segundos entre as séries e 90 segundos entre cada exercício. Dez minutos antes, durante e até 30 minutos após a realização da sessão os seguintes parâmetros foram avaliados em cada fase: freqüência cardíaca (FC), pressão arterial sistólica (PAS), pressão arterial diastólica (PAD), variabilidade da freqüência cardíaca (VFC), glicemia, lactato, triglicérides e colesterol total. Teste de análise de variância (ANOVA) seguido de post-hoc Neuwman Keuls foi devidamente aplicado para análise dos dados. Valores de p<0,05 foram considerados significativos. Não foram observadas diferenças entre os níveis de colesterol total e triglicérides antes e após exercício. Foi observado que o GSO apresentou aumento do lactato mais precoce quando comparado ao GC durante o exercício. Na recuperação, o lactato retornou ao valor basal de forma semelhante entre os grupos. A glicemia diminuiu durante o exercício apenas no GSO. A PAS aumentou nos dois grupos, porém sem diferenças entre eles. A PAD diminuiu mais precocemente no GSO e retornou ao valor basal durante a recuperação sem diferença estatística entre os grupos. A FC aumentou durante a sessão de exercício de forma idêntica nos dois grupos, porém no GSO foi observado que durante a recuperação a FC retornou ao valor basal, o que não aconteceu no GC. Os índices da VFC no domínio do tempo (VAR RR e RMSSD) se comportaram de maneira semelhante frente ao exercício nos dois grupos, porém, nos índices SDNN e PNN50 retornaram aos valores basais durante a recuperação apenas no GSO. Os índices de VFC no domínio da freqüência (LF e HF) apresentaram comportamento semelhante em ambos os grupos em todos os momentos estudados. Dessa forma, sugere-se que o aumento do nível de atividade física em indivíduos com sobrepeso pode prevenir as alterações autonômicas que estão associadas ao aumento do peso corporal e conferir efeito protetor ao sistema cardiovascular.

Endereço: http://www.usjt.br/biblioteca/mono_disser/mono_diss/2009_094_miranda.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.