Respostas Ao Treinamento Resistido em Relação à Densidade Mineral óssea e Marcadores ósseos no Polimorfismo Foki do Gene Receptor de Vitamina D em Idosas

Por: Lídia Mara Aguiar Bezerra.

2010 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi determinar a influência do genótipo FokI do gene receptor da vitamina D (VDR) na densidade mineral óssea (DMO) e marcadores bioquímicos ósseos (MBOs) em resposta ao treinamento resistido em idosas. Métodos – Um total de 235 mulheres pós-menopausadas (66.6± 5.5 anos) foram avaliadas antes e após seis meses de treinamento resistido, sendo que 44 indivíduos fizeram parte do grupo experimental (GE) e 48 participaram como grupo controle (GC). O DNA foi extraído de amostras sanguíneas de todos os indivíduos e a genotipagem foi realizada do lócus FokI do gene VDR para determinar suas associações em resposta ao treino. A DMO total do corpo, do trocanter, colo femoral, quadril inteiro e coluna lombar (L1-L2) foram mensuradas antes e após seis meses de intervenção por meio do aparelho de absortometria de raio-X de dupla energia, já os MBOs, como a osteocalcina (OC) humana intacta, foram mesurados com ensaio imunoenzimático e o telopeptítio carboxitermminal do colágeno tipo I (ICTP) foi medido com método enzimoimunoensaio quantitativo. O treino resistido. O programa de TR foi realizado durante seis meses com cargas progressivas de 60 a 80% de 1RM. Resultados - A distribuição do polimorfismo FokI do gene VDR estava de acordo com o equilíbrio de Hardy-Weinberg (FF: 42,7%; Ff: 45,3%; ff: 11,8%). O marcador de formação óssea, OC, foi significativamente aumentado após seis meses de treinamento nos genótipos Ff e ff (GE), e o marcador de reabsorção óssea, ICTP, diminuiu significativamente no genótipo FF (-51.44%). Por outro lado, no genótipo ff do GE aumentou 47.42% e o genótipo ff do GC diminuiu significativamente (-71.05%) após seis meses. A DMO do corpo inteiro, do colo femoral, do triângulo de Ward e da coluna lombar aumentaram significativamente no genótipo ff do GE (2.05%, 3.53%, 6.97% e 1.53, respectivamente) quando comparado com o GC. Porém, no GC houve uma diminuição da DMO no colo femoral nos genótipos FF e ff (-7.30, -3.8%, respectivamente), bem como, na DMO do triângulo de Ward no ff (-3.45%). Contrariamente, houve um aumento significante na DMO da coluna lombar (3.56%) no genótipo ff do GC. Conclusão – estes dados indicam que o genótipo FokI do gene VDR pode influenciar a DMO (corpo inteiro,colo femoral, triângulo de Ward e coluna lombar) e os marcadores ósseos em resposta ao TR.

Endereço: http://www.bdtd.ucb.br/

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.