Respostas Endoteliais, Inflamatórias, Cardiovasculares e Metabólicas de Uma Sessão de Videogame Ativo e Corrida na Esteira em Diabéticos Tipo 1: Ensaio Clínico Randomizado

Por: Jorge Luiz de Brito Gomes.

105 páginas. 2018 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: Comparar uma sessão de videogame ativo com uma sessão de exercício tradicional (corrida na esteira) sobre os respostas endoteliais, inflamatórios, cardiovasculares e metabólicos de pessoas diabéticas tipo 1 de forma aguda, imediata e tardia. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico randomizado (alocação) do tipo cross over aprovado pelo Comitê de Ética (N°: 029770/2016). O protocolo teve duração de três semanas. Na primeira, avaliação inicial das variáveis do estudo, familiarização aos equipamentos e sessão controle (dia 1). Após 24 horas (dia 2), as medidas foram reavaliadas e realizouse a randomização e teste máximo de consumo de oxigênio. Na segunda semana (72 ? 196 horas), foi realizada a sessão de videogame ativo (Kinect Adventures) (dia 3) ou sessão corrida na esteira e no dia 4 (após 24 horas) as análises foram reavaliadas. Na terceira semana, o mesmo protocolo foi seguido para a sessão ativa restante (dia 5 e 6). As variáveis principais foram endoteliais (diâmetro do vaso e % de dilatação), inflamatórias (leucograma e proteína c reativa), cardiovasculares (frequência cardíaca, pressão arterial, duplo produto) e metabólicas (glicemia, consumo de oxigênio, equivalentes metabólicos e coeficiente respiratório). As variáveis de controle da sessão foram a glicemia, frequência cardíaca, pressão arterial, duplo produto, satisfação à prática e consumo de oxigênio. Foi realizado teste de normalidade (Shapiro-Wilk) e para análise intragrupo e intergrupo, análises de variâncias de duas vias [Grupo vs Tempo] para medidas repetidas nas variáveis endoteliais, inflamatórias e cardiovasculares nos momentos pré, imediatamente após, 30 minutos e 24 horas. Uma Análise de variância de uma via para as comparações metabólicas e satisfação durante/após as sessões. O tamanho do efeito e mínima diferença detectável foi calculado. Adotou-se p<0,05. Resultados: Nove voluntários com idade média (desvio padrão) 25,2 (7,7) anos, tempo de diagnóstico de 10,9 (8,0) anos, HbA1c de 8,7 (1,4)%, índice de massa corporal 21,8 (1,9) kg/m2 com 24,8 (6,2)% de gordura. Houve aumento na função endotelial (41,2mm vs 49,0mm aos 30 minutos e 48,1mm após 24 horas da sessão corrida; 50,8mm e 56,8mm após sessão corrida resultado em aumentos >10% na % de dilatação do vaso (p<0,05). Sendo a sessão de VGA com maiores valores (p<0,05); foram identificadas respostas inflamatórias similares após 24h de cada sessão ativa, porém com exceção da sessão de corrida na esteira, que reduziu significativamente o sistema imunológico (-10,4%), entretanto, as duas aumentaram clinicamente o HDL (>5mg/dL) após 24 horas; as respostas cardiovasculares foram similares antes, durante, imediatamente após, 30 minutos e 24 horas entre as sessões ativas, porém, não proporcionaram hipotensão; identificou-se respostas metabólicas similares com intensidade moderada, todavia o coeficiente respiratório da sessão VGA foi maior (1,03 vs 1,11; p<0,05). Na glicemia capilar houve muitas hipoglicemias diurna e noturna após a sessão corrida na esteira. Maior satisfação na sessão VGA (7,7 vs 9,4 pontos; p<0,05). As variáveis possuíram tamanho do efeito alto e com importância clínica em diversos momentos. Conclusões: uma sessão de VGA apresenta respostas endoteliais, inflamatórias, cardiovasculares e metabólicas semelhantes a uma sessão corrida, sendo uma prática coadjuvante interessante para o controle da doença em DM1. 

Endereço: http://w2.portais.atrio.scire.net.br/upe-papgef/index.php/pt/doutorado/teses-doutorado

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.