Respostas Psicoafetivas de Idosos Fisicamente Ativos Durante o Exercício Físico em Diferentes Ambientes

Por: Thiago de Brito Farias.

2016 17/06/2016

Send to Kindle


Resumo

Há evidências mostrando que a prática de exercícios em ambientes abertos e/ou naturais promovem mudanças favoráveis em aspectos psicoafetivos em relação aqueles vivenciados em ambientes fechados. No entanto, ainda pouco se sabe sobre os efeitos dessa prática na população idosa. Objetivo: Comparar as respostas psicoafetivas de idosos fisicamente ativos durante o exercício físico realizado em diferentes ambientes. Material e Métodos: Participaram deste estudo experimental do tipo crossover randomizado, 15 idosos fisicamente ativos de ambos os sexos (65,37 ± 5,11 anos de idade; 29,46 ± 3,53 kg.cm-²). Após processo de anamnese e ancoragem teórica dos instrumentos utilizados, todos realizaram cinco sessões de exercício físico em três diferentes ambientes: ginásio poliesportivo (ambiente fechado), pista aberta de atletismo (ambiente aberto) e praia (ambiente verde). As duas primeiras sessões ocorreram em ambiente aberto e verde para servir como familiarização com os procedimentos e minimizar o efeito da novidade do ambiente. Somente as três últimas sessões tiveram os dados analisados. As sessões de exercício eram compostas por protocolos idênticos – 30 minutos de exercício: 5 minutos de aquecimento, 20 minutos de caminhada com intensidade autosselecionada e 5 minutos de volta a calma. Antes e após o exercício, os voluntários autorrelataram seus atuais estados de humor com o questionário “Perfil do Estado de Humor”. Durante a caminhada, eles reportaram quatro vezes seus níveis de esforço e de afeto por meio da Escala de Percepção de Esforço e da Escala de Sensação, respectivamente. Além disso, foi quantificada a distância percorrida por eles durante a caminhada. Posteriormente a análises da normalidade da distribuição do dados e homogeneidade da variância, os dados foram analisados pelo teste ANOVA de Friedman (estado de humor) e ANOVA de medidas repetidas one-way (distância percorrida) e two-way (percepção de esforço e afeto). Adotou-se como nível de significância estatística o p < 5%. Resultados: Em nenhum dos três ambientes ocorreram mudanças nos estados de humor. Os índices de esforço e as distâncias percorridas, assim como as respostas afetivas foram equivalentes nesses ambientes. Conclusão: Em Idosos fisicamente ativos a execução de exercício físicos em ambientes naturais não proporcionaram experiências afetivas diferentes daquelas vivenciadas durante a prática da mesma atividade em ambientes fechados.

Endereço: https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/programa/defesas.jsf?lc=pt_BR&id=5591

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.