Respostas do Treinamento Combinado na Potência Aeróbica em Sobreviventes de Câncer

Por: Fabiano M. Sales, G. F. Geraldo, J. L. da Silva e Sandro Fernandes da Silva.

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Objetivos:
Verificar a adaptação da potência aeróbia em sobreviventes de câncer, participantes de um treinamento combinado de 16 sessões.

Métodos e Resultados:
Para a avaliação da Potência Aeróbica foi utilizado o teste de 1 milha (KLINE et al., 1987), a freqüência cardíaca foi avaliada a cada 100 metros, e o tempo total para completar o percurso. A amostra foi composta por 10 sobreviventes de câncer, com idade média de 63,69 anos. As coletas foram realizadas pré e pós um período de 16 semanas de treinamento combinado de força e aeróbico realizado 3x/semana. A porcentagem da frequência cardíaca máxima foi utilizada para controle do treinamento aeróbico (60 a 70%), enquanto que no treinamento de força a porcentagem da cargamáxima foi utilizada (50 a 60%). Para os resultados foi utilizada uma estatística descritiva com comparação de médias e desvios padrão. Foi utilizado o teste de Shapiro-Wilk para verificar a distribuição da amostra e o teste T pareado para comparar o VO2máx Pré e Pós Treinamento, para comprovação estatística foi adotado um P < 0,05. A média do VO2máx Pré treinamento foi de 29,77 ml.kg.min-1, enquanto a média Pós treinamento foi de 32,91 ml.kg.min-1, em que houve uma diferença significativa.

Conclusão:
O VO2máx demonstrou melhora significativa após o treinamento, isso indica que o treinamento combinado de força e aeróbico em sobreviventes de câncer é efetivo na melhora dessa variável importante do componente da condição física.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.