Restaurante Fechado Para o Almoço

Por: .

Blog do Bramante - 2012

Send to Kindle


Feliz ano novo, de novo.

Ano de 2011 foi, efetivamente, de mudanças. Depois de 21 anos morando na casa que construímos, resolvemos mudar para um apartamento, mais central, onde posso fazer muita coisa me deslocando a pé, inclusive para a academia. Acredite, eu faço academia regularmente, sempre que possível.

Qual não foi a minha surpresa neste dia 2 de Janeiro, quando fui para a academia, depois de caminhar por quase 20 minutos até lá e encontrei as portas de vidro fechadas e lá dentro, uns dois professores com mais alguns funcionários, aparentemente lubrificando as máquinas. Por troca de sinais, fui convidado a voltar amanhã, terça-feira.

No caminho de volta vim pensando sobre esse equívoco estratégico primário para aqueles que fazem a gestão das experiências de lazer e optam por fechar suas instalações em datas erradas.

Pergunto a você que me lê: tem alguma data mais errada para se fechar uma academia do que o primeiro dia útil de um novo ano, especialmente quando este cai numa segunda-feira, o “Dia NRDQPNVC” (Dia Nacional do [Re]início daquilo que, provavelmente, não vou continuar…)?

Essa questão de quando abrir instalações de lazer está ainda para ser mais bem debatida, embora, no meu caso, esse tema tem sido objeto de estudos, de forma mais sistemática, pelo menos nos últimos doze anos.

Sempre que me envolto em algum trabalho sobre a gestão de espaços de lazer, como esse que atualmente desenvolvo dentro do SESI, incluo uma questão que informa o perfil da abertura das instalações, em relação aos dias e horários. Desenvolvemos uma pesquisa diagnóstica recentemente com a participação de 245 Unidades de cultura, esporte e lazer do SESI dos 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal...

Como poderá ser observado, parte significativa dessas Unidades permanece fechada no chamado “horário nobre” do lazer, ou seja, quando, potencialmente, as pessoas tem mais tempo disponível para fazer escolhas, isto é, aos sábados, domingos e feriados. Por que não oferecer, de forma sistemática, oportunidades inovadoras de lazer nos finais de semana? Eu disse sistemática. É muito comum o argumento: “tentamos durante um mês e não veio quase ninguém!” Esses gestores se esquecem que mudança (ou adoção) de hábitos ocorre na medida em que três variáveis são combinadas: oferta de experiências de lazer significativas/tempo de exposição/percepção de sucesso. Da mesma forma, chama a atenção o número de Unidades que fecham suas portas às segundas-feiras, com o argumento de que “é necessário um dia da semana para se fazer a manutenção…”. Qual a razão de não se programar a manutenção de madrugada? Será que os equipamentos “vão reclamar”?!?

Voltando à academia, teria uma das duas sugestões a seguir:

Fazer uma ampla divulgação da reabertura festiva das instalações no primeiro dia do ano, associando essa ação às “resoluções de final de ano” sobre as mudanças de hábitos, oferecendo, inclusive um café da manhã saudável numa campanha “traga seu/sua amigo(a) para iniciar o ano com o pé direito” (…), ou
Uma enorme faixa na entrada, comunicando, com antecedência, o fechamento das instalações.

Lembre-se, quem está no campo do lazer e não deseja trabalhar nos períodos em que a maioria folga, mude de ramo!

Para os menos avisados, já está chegando o tempo das “instalações de lazer conveniência”, ou seja, que nunca fecham. Mas isso é tema para outro bate-papo…

Forte abraço.

Bramante

Por Bramante
em 2-01-2012, às 10:12

7 comentários. Deixe o seu.

Comentários

Mas parece que isso é uma constante. Parece que as empresas que oferecem serviços de lazer não se preocupam em analisar os horários que os possíveis clientes gostariam de estar usando estes serviços. Aconteceu comigo hoje, querendo ir treinar no SESC Belenzinho e incrível que pareça, estava em manutenção, não abre as 2ªs feiras, e ainda colocam um serviço que não prioriza a individualidade biológica, montam uma baita sala mas com horário marcado, onde vc só pode treinar 2 ou 4 vezes e tem que participar de um circuito funcional e não pode usar os equipamentos cardiovasculares livremente, não entendo realmente o objetivo disso. Mas fazer o que, trabalhei muito tempo num clube grande e era assim tb, não se abre de 2ª feira para manutenção, isso antes se dava devido a piscina, mas o que as outras áreas tem a ver com isso, o que o departamento de ginástica ou de artes marciais precisa de manutenção, é o cúmulo da burrice. Por isso as pessoas estão cada vez mais migrando para Academias que abrem de domingo à domingo ou treinam no seu próprio condomínio. Para alguns se torna uma chance empreendedora, mas é isso. Excelente artigo. Abraços e Feliz Ano Novo.

Por Wandola
em 2-01-2012, às 16:56.

É um tema complicado mas todas as empresas fazem o mesmo sempre. Qd puderem visitem http://www.mundoeducacaofisica.com/. Abraços.

Por Jorge
em 3-01-2012, às 16:27.

É um tema complicado mas todas as empresas fazem o mesmo sempre. Qd puderem visitem Educação Física. Abraços.

Por Jorge
em 3-01-2012, às 16:28.

Amigos, como já falei por aqui (e tantos outros já escreveram sobre isso…): o sucesso de hoje não garante a vitória do amanhã! É lamentável que, enquanto gestores do lazer, não estejamos vigilantes quanto a necessária e imprescindível aproximação com os usuários de nossas instalações visando antecipar possíveis equívocos. Continuo achando preferível “acertar juntos do que errar sozinho…”. Uma saída que aprecio muito poderia ser a constituição de “conselhos de usuários”, para termos os clientes como colaboradores na “co-criação” de experiências e processos. Abraços

Por Antonio Carlos Bramante
em 11-01-2012, às 14:54.

Bramante,
Acho que esse descaso com o lazer da população é no Brasil. Aqui no Japão academias e locais de lazer funcionam o ano inteiro, e não existem feriados ou festas que mudem esse hábito.
Abrir em dias e horários para beneficiar o público é um sinal de respeito, de agradecimento, até.
Acredito que uma das razões para que isso esteja acontecendo no Brasil, é que o público está acomodado e negligente quanto a força que possui. Digo ainda que é uma questão de educação. Mas que fazer se metade da nossa população é semi-analfabeta?

Por Edison Yamazaki
em 9-02-2012, às 5:28.

Prezado Bramante,
Recebi com muito orgulho e satisfação o exemplar que me foi enviado por sua solicitação: “Desafios e Perpectivas da Educação para o Lazer” (SESC).
Sua leitura certamente me tornará mais culto nesse mister, onde tenho o melhor dos mestres.
Grato e felicidades.

Por Roberto Pimentel
em 15-02-2012, às 7:36.

Amigos
Gostaria de agradecer todos os comentários aqui suscitados e estou de acordo com o que vocês escreveram. Sim, é uma questão cultural (…e educacional…) como tão bem Edison pontua baseado até na sua vivência no Japão, assim como a decepção do Wandola. Depois ficamos nos perguntando porque as pessoas vão tanto aos shopping-centers…

Por Bramante
em 20-02-2012, às 12:19. 

Endereço: https://web.archive.org/web/20150329131724/http://blog.cev.org.br/bramante/2012/restaurante-fechado-para-o-almoco/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.